Mercado abrirá em 6 h 38 min
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,26 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,77 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,02
    -1,07 (-1,16%)
     
  • OURO

    1.807,50
    -8,00 (-0,44%)
     
  • BTC-USD

    24.597,45
    -19,47 (-0,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    583,71
    +12,42 (+2,17%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,35 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.107,23
    -68,39 (-0,34%)
     
  • NIKKEI

    28.871,78
    +324,80 (+1,14%)
     
  • NASDAQ

    13.547,75
    -30,00 (-0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1972
    -0,0063 (-0,12%)
     

BC britânico adota maior alta dos juros desde 1995 e alerta para recessão

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Sede do Banco da Inglaterra em Londres
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por William Schomberg e David Milliken

LONDRES (Reuters) - O banco central britânico adotou o maior aumento da taxa de juros em 27 anos nesta quinta-feira, apesar de alertar que uma longa recessão está a caminho, conforme corre para amortecer uma inflação projetada em mais de 13%.

Em meio ao aumento nos preços da energia causado pela invasão russa da Ucrânia, o Comitê de Política Monetária do Banco da Inglaterra votou por 8 a 1 por um aumento de 0,5 ponto percentual na taxa de juros, para 1,75% - nível mais alto desde o final de 2008.

A alta de 0,5 ponto era esperada pela maioria dos economistas em uma pesquisa da Reuters, no momento em que bancos centrais em todo o mundo buscam conter o salto dos preços.

O presidente do Banco da Inglaterra, Andrew Bailey, disse que todas as opções estão em jogo para o próximo encontro do banco central, em setembro, e para depois.

"Fazer a inflação retornar à meta de 2% continua sendo nossa prioridade absoluta. Não há reservas em relação a isso", disse ele em entrevista à imprensa.

Silvana Tenreyro, membro do comitê, votou sozinha a favor de um aumento menor, de 0,25 ponto.

O banco central alertou que o Reino Unido enfrentará uma recessão, com uma queda de até 2,1% na produção, semelhante a um tombo registrado na década de 1990, mas muito menor do que o impacto da Covid-19 e da crise financeira global de 2008-09.

A economia começará a encolher no último trimestre de 2022 e se contrairá durante todo o ano de 2023, o que configuraria a recessão mais longa desde a crise financeira global.

Abrindo alas para a contração econômica, a inflação dos preços ao consumidor agora deve atingir um pico de 13,3% em outubro --maior nível desde 1980-- devido principalmente ao aumento nos preços de energia após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Isso deixaria as famílias enfrentando dois anos consecutivos de declínio em sua renda disponível, o maior aperto desde que esses registros começaram, em 1964.

"A decisão de hoje confirma a noção de um banco central determinado a acabar com a inflação diante de desafios contínuos do lado da oferta, incluindo um mercado de trabalho bastante apertado e a disparada das contas de energia", disse Hussain Mehdi, estrategista macro e de investimento do HSBC Asset Management.

A inflação dos preços ao consumidor britânico atingiu uma máxima em 40 anos de 9,4% em junho, já mais de quatro vezes a meta de 2% do Banco da Inglaterra.

Anteriormente, a instituição esperava que a inflação chegaria a um pico acima de 11% e projetava quase nenhum crescimento na economia britânica antes de 2025, no mínimo.

Em suas novas estimativas, a autoridade monetária previu a inflação caindo para 2% em dois anos, à medida que o impacto econômico afeta a demanda.

Bailey disse que os riscos para o cenário do Banco da Inglaterra são "excepcionalmente grandes".

O banco central britânico já elevou os juros seis vezes desde dezembro, mas o movimento desta quinta-feira foi o maior desde 1995.

"A política monetária não está num caminho estabelecido previamente", disse o Banco da Inglaterra. "A escala, o ritmo e o momento de quaisquer outras mudanças na Taxa Bancária refletirão a avaliação do comitê sobre as perspectivas econômicas e as pressões inflacionárias."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos