Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.005,22
    +758,07 (+0,71%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.289,91
    +895,88 (+1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,55
    -0,66 (-0,59%)
     
  • OURO

    1.839,50
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    30.228,04
    +1.328,70 (+4,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    672,69
    +20,46 (+3,14%)
     
  • S&P500

    3.900,79
    -22,89 (-0,58%)
     
  • DOW JONES

    31.253,13
    -236,94 (-0,75%)
     
  • FTSE

    7.302,74
    -135,35 (-1,82%)
     
  • HANG SENG

    20.120,68
    -523,60 (-2,54%)
     
  • NIKKEI

    26.538,37
    +135,53 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    11.962,25
    +84,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1751
    -0,0437 (-0,84%)
     

BC altera regras para bancos fazerem frente a risco de crédito e prevê redução de R$3,8 bi em requerimentos

Moedas de reais

BRASÍLIA (Reuters) - O Banco Central editou nesta quinta-feira resolução que altera alguns procedimentos para o cálculo do capital que as instituições financeiras precisam reservar para fazer frente ao risco de crédito.

Segundo a autarquia, as novas regras são mais robustas e sensíveis ao risco, trazendo um refinamento na diferenciação do impacto potencial das operações. A estimativa é que a norma abra espaço para uma redução de 3,8 bilhões de reais nas exigências de capital para o sistema financeiro como um todo, com o impacto individual variando de acordo com a carteira de crédito de cada instituição.

No caso do financiamento imobiliário, por exemplo, o BC disse em nota que a ponderação de risco vai passar a variar com base em parâmetros objetivos, permitindo que exposições menos arriscadas tenham uma exigência de capital menor, o que não ocorre atualmente.

Segundo o BC, o aprimoramento proposto para o cálculo do requerimento de capital foi construído a partir de uma consulta pública divulgada em dezembro de 2020 e está alinhado às melhores práticas do Comitê de Basileia para Supervisão Bancária, do qual o Brasil é membro.

(Por Isabel Versiani)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos