Mercado fechará em 3 h 41 min

BBC pretende cortar empregos para compensar o impacto do coronavírus

(Arquivo) Diretor-geral da BBC Tony Hall em 15 de novembro de 2018

A BBC anunciou nesta quarta-feira ter proposto em sua planilha um plano de demissão voluntária com o objetivo de economizar 125 milhões de libras (156 milhões de dólares) para compensar o impacto da crise do coronavírus.

A reestruturação é "necessária para assegurar que a BBC possa ir de frente aos desafios de um ambiente midiático em rápida evolução", afirmou um porta-voz da radio-televisão pública britânica.

"O impacto da pandemia do coronavírus significa que a BBC necessita economizar 125 milhões (de libras) no atual ano fiscal, além de outras importantes medidas de austeridade que haviam sido previamente comprometidas", explicou o porta-voz.

A entidade, que emprega mais de 22.000 pessoas, não especificou quantos empregos espera cortar.

No inicio do ano havia sido anunciado um plano para demitir 450 empregados em suas salas de redação, mas este acabou sendo suspenso devido a necessidade de cobrir a crise do novo coronavírus. O grupo não indicou se tem a intenção de retomá-lo.

O atual diretor da BBC, Tony Hall, será substituído por Tim Davie, até então, diretor-executivo dos estúdios da BBC.

A rádio-televisão pública britânica obtém grande parte de suas receitas vindas do imposto audiovisual, de 154,50 libras (200 dólares, 180 euros) anuais por família, e que no ano passado gerou cerca de 3,6 bilhões de libras, o que permite a emissora operar sem a necessidade de publicidade.

Mas o tributo será abolido a partir de agosto para maiores de 75 anos e há uma grande preocupação de que o primeiro-ministro Boris Johnson, que acusou à BBC de enviesar o processo do Brexit, queira reduzir o valor do imposto ou retirar a obrigatoriedade do pagamento.