Mercado abrirá em 4 h 17 min
  • BOVESPA

    116.230,12
    +95,66 (+0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.046,58
    +616,83 (+1,36%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,12
    -0,40 (-0,46%)
     
  • OURO

    1.720,60
    -9,90 (-0,57%)
     
  • BTC-USD

    20.163,45
    +215,27 (+1,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,72
    +11,29 (+2,53%)
     
  • S&P500

    3.790,93
    +112,50 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    30.316,32
    +825,43 (+2,80%)
     
  • FTSE

    6.989,39
    -97,07 (-1,37%)
     
  • HANG SENG

    18.087,97
    +1.008,46 (+5,90%)
     
  • NIKKEI

    27.120,53
    +128,32 (+0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.531,25
    -109,50 (-0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1553
    -0,0126 (-0,24%)
     

BB entra em índice de sustentabilidade da bolsa de Nova York

·1 min de leitura

O Banco do Brasil (BB) foi escolhido para compor um dos grupos mais seletos de empresas sustentáveis. As ações do banco na bolsa de Nova York passarão a integrar o Índice Dow Jones de Sustentabilidade (DJSI), nas categorias mercado mundial e emergente. Criada em 1999, a carteira é composta por 10% das empresas com melhor desempenho em cada um dos setores avaliados.

Para fazer parte desses índices, as empresas precisam alinhar-se às melhores práticas de mercado, por meio de uma série de iniciativas que vão desde a concepção de produtos e serviços que contribuam com a transição para uma economia inclusiva e de baixo carbono. O indicador também avalia práticas administrativas ecologicamente eficientes e investimentos contínuos em melhorias.

Além do Banco do Brasil, 24 bancos em todo o planeta foram listados no DJSI, que é revisado a cada ano. Na avaliação de 2020, o Banco do Brasil foi considerado referência mundial em sete dos 23 temas avaliados nas dimensões econômica, ambiental e social.

Em nota, o BB informou que a indicação para compor o índice representa o reconhecimento do mercado internacional à atuação em sustentabilidade do Banco e à iniciativa em incorporar o tema na estratégia corporativa e nas práticas administrativas e negociais.

Neste ano, o banco inaugurou as primeiras usinas próprias de energia solar. A primeira começou a funcionar em março em Porteirinha, Minas Gerais. A segunda iniciou as operações no mês passado, em São Domingos do Araguaia, no estado do Pará.