Mercado abrirá em 5 h 52 min
  • BOVESPA

    119.646,40
    -989,99 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.125,71
    -369,70 (-0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,28
    +0,04 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.873,50
    +7,00 (+0,38%)
     
  • BTC-USD

    34.612,74
    -49,88 (-0,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    685,19
    -15,42 (-2,20%)
     
  • S&P500

    3.851,85
    +52,94 (+1,39%)
     
  • DOW JONES

    31.188,38
    +257,86 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.740,39
    +27,44 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    29.977,96
    +335,68 (+1,13%)
     
  • NIKKEI

    28.722,32
    +88,86 (+0,31%)
     
  • NASDAQ

    13.378,00
    +83,75 (+0,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4177
    -0,0809 (-1,24%)
     

BB anuncia reestruturação que prevê fechar 361 unidades e programa de demissão voluntária

FÁBIO PUPO
·3 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 20.11.2016 - Fachada do Banco do Brasil, na avenida Paulista. (Foto: Bruno Santos/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 20.11.2016 - Fachada do Banco do Brasil, na avenida Paulista. (Foto: Bruno Santos/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Banco do Brasil aprovou um conjunto de medidas que diminuem sua estrutura organizacional com fechamento de pontos de atendimento e programas de demissão voluntária. Serão encerradas 361 unidades, sendo 112 agências, 7 escritórios e 242 postos de atendimento.

As medidas foram anunciadas nesta segunda-feira (11) ao mercado. O banco estima que a economia anual com as medidas alcance R$ 353 milhões em 2021 e R$ 2,7 bilhões até 2025.

A discussão sobre um enxugamento da estrutura do BB existia desde meados do ano passado, mas ganhou força e profundidade com a chegada de André Brandão, presidente do BB que tomou posse em setembro de 2020.

A cúpula do banco já tinha visões sobre a necessidade das mudanças, mas o desenvolvimento do plano só foi adiante após a posse do executivo vindo do HSBC.

As mudanças anunciadas já estavam em grande parte acertadas com o Ministério da Economia, principalmente as que envolvem desligamento de pessoal. A estratégia é rever a necessidade de atendimento físico e fortalecer os canais digitais, que já representam a maior parte das operações.

De acordo com o banco, a Covid-19 acelerou esse movimento. A quantidade de transações em guichês de caixa no BB caiu 42% desde 2016, enquanto o uso digital dobrou no mesmo período e já responde por 86% das transações.

"Essa tendência não apenas continua como se acentuou fortemente durante a pandemia, antecipando em mais de um ano nossas projeções de uso dos canais digitais", afirma o banco em comunicado.

Desde abril do ano passado, o aplicativo do banco ganhou mais 4,7 milhões de usuários, chegando a 19,4 milhões, com uma média diária de crescimento 273% maior do que antes da pandemia. O contato via WhatsApp também registrou crescimento expressivo, chegando a quase 600 mil atendimentos por dia.

As medidas anunciadas nesta segunda envolverão, ao todo, 870 unidades pelo país. Além do encerramento de atividades de parte delas, outras 243 agências terão suas funções reduzidas ao serem transformadas em postos de atendimentos (que não têm gerente).

O banco também vai transformar 145 unidades de negócios em lojas. Elas possuem terminais, mas não guichês de caixa.

Também serão criadas 28 unidades de negócios especializadas (sendo 14 agências voltadas a agronegócio e 14 escritórios para clientes que dão prioridade a serviços de forma digital), com aproveitamento de espaços já existentes.

Segundo o Banco do Brasil, as mudanças nas agências acontecerão a partir de 22 de fevereiro e serão comunicadas aos clientes por SMS, aplicativo de celular, site na internet, terminais de autoatendimento, além de correspondências, e-mail e cartazes nas agências.

A mudança de agência é automática. Os clientes não precisam fazer nenhum procedimento e podem manter seus cartões e senhas para transações, mesmo que haja alteração no número da conta.

Foram aprovadas pelo banco ainda duas modalidades de desligamento incentivado voluntário aos funcionários. O Programa de Adequação de Quadros, para redistribuir força de trabalho, e o Programa de Desligamento Extraordinário, disponível a todos os funcionários do BB que atenderem aos pré-requisitos.

A estimativa do BB é que cerca de 5.000 funcionários façam adesão aos dois programas. O número final de desligamentos, assim como o impacto financeiro, serão informados ao mercado após o encerramento do prazo (em 5 de fevereiro).

O enxugamento de agências continua um movimento observado desde o governo do então presidente Michel Temer (de 2016 a 2018).

Em 2017, houve uma reformulação significativa para eliminar 781 agências (14% do total da época), sendo que 379 seriam convertidas em postos de atendimentos e 402 unidades seriam encerradas, somando-se a outras 51 agências que tinham começado a ser fechadas em outubro de 2016.

Do fim de 2016 até o fim de 2019, foram eliminadas 1.390 agências tradicionais (uma redução de 27%). No mesmo período, o banco desligou 7.432 funcionários (cerca de 7% do total inicial).