Mercado fechará em 5 h 54 min
  • BOVESPA

    109.951,49
    +2.121,77 (+1,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.125,01
    -210,50 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,22
    -0,25 (-0,32%)
     
  • OURO

    1.894,10
    +3,40 (+0,18%)
     
  • BTC-USD

    22.707,97
    -412,77 (-1,79%)
     
  • CMC Crypto 200

    523,48
    -13,41 (-2,50%)
     
  • S&P500

    4.117,86
    -46,14 (-1,11%)
     
  • DOW JONES

    33.949,01
    -207,68 (-0,61%)
     
  • FTSE

    7.945,47
    +60,30 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    21.624,36
    +340,84 (+1,60%)
     
  • NIKKEI

    27.584,35
    -22,11 (-0,08%)
     
  • NASDAQ

    12.676,25
    +131,00 (+1,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6134
    +0,0460 (+0,83%)
     

Bayer prevê vendas anuais de até 5 bi de euros com novo anticoagulante

Logotipo da Bayer em uma fábria da farmacêutica em Wuppertal, Alemanha

Por Ludwig Burger e Patricia Weiss

FRANKFURT (Reuters) - A Bayer previu nesta terça-feira que seu medicamento experimental contra coágulos sanguíneos pode atingir mais de 5 bilhões de euros em vendas anuais.

A primeira perspectiva de receita para o asundexian, projetado para evitar trombose e derrames, mostra a confiança da Bayer de que pode substituir a receita de um de seus mais vendidos produtos, o Xarelto, que deve perder proteção contra patentes europeias importantes em 2026.

Apesar das recentes vitórias nos tribunais para o grupo alemão, suas ações têm sofrido com a pressão de litígios sobre o herbicida Roundup e sobre a poluição ambiental com produtos químicos. Ambas são questões herdadas da Monsanto, que a Bayer comprou por mais de 60 bilhões de dólares em 2018.

O anticoagulante de próxima geração é um dos quatro novos candidatos a medicamentos que a Bayer vê com potencial de pico de vendas de mais de 12 bilhões de euros.

Isso incluiu uma perspectiva aprimorada para o medicamento renal Kerendia, com possíveis vendas anuais agora vistas em mais de 3 bilhões de euros.

O asundexian pertence a uma nova classe de medicamentos conhecidos como inibidores do fator XI, que também atraiu a Novartis. Outro concorrente próximo da corrida fator XI é a Bristol-Myers Squibb, que está trabalhando com a Johnson & Johnson no milvexian.