Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.552,44
    +12,44 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.669,25
    +467,45 (+1,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,75
    -0,28 (-0,70%)
     
  • OURO

    1.921,40
    -8,10 (-0,42%)
     
  • BTC-USD

    12.886,58
    +1.829,57 (+16,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    258,19
    +13,30 (+5,43%)
     
  • S&P500

    3.435,56
    -7,56 (-0,22%)
     
  • DOW JONES

    28.210,82
    -97,98 (-0,35%)
     
  • FTSE

    5.776,50
    -112,72 (-1,91%)
     
  • HANG SENG

    24.696,31
    -58,11 (-0,23%)
     
  • NIKKEI

    23.505,49
    -61,51 (-0,26%)
     
  • NASDAQ

    11.615,00
    -76,25 (-0,65%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6510
    +0,0010 (+0,02%)
     

Batalhões da Grande SP matam 60% mais em 2020

João de Mari
·3 minutos de leitura
Somente no período da quarentena, em abril, o número de pessoas mortas por policiais aumentou 53% se comparado ao mesmo período do ano passado (Agência Brasil/Reprodução)
Somente no período da quarentena, em abril, o número de pessoas mortas por policiais aumentou 53% se comparado ao mesmo período do ano passado (Agência Brasil/Reprodução)

As mortes causadas por policiais militares de batalhões das cidades das Grande São Paulo aumentaram 60% de janeiro a abril de 2020 em comparação com o mesmo período de 2019.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Os batalhões da capital paulista também registraram aumento do número de pessoas mortas por agentes do estado. De acordo com as informações publicadas pelo G1, com base em dados da Corregedoria da Polícia Militar no Diário Oficial do Estado, a capital conta com 44% mais óbitos no mesmo período.

O número é superior ao aumento da letalidade policial no estado de São Paulo como um todo, que registrou 31% mais mortes de janeiro a abril deste ano do que o mesmo período do ano passado, segundo levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Para se ter ideia, levantamento aponta que somente no período da quarentena, em abril, o número de pessoas mortas por policiais aumentou 53% se comparado ao mesmo período do ano passado, quando não havia isolamento social.

Em números totais, 80 pessoas foram mortas por policiais do Comando de Policiamento Metropolitano (CPM), de janeiro a abril deste ano, contra 50 no ano passado.

Leia também

Já os agentes subordinados ao batalhões do Comando de Policiamento da Capital (CPC) mataram 68 pessoas no período analisado em 2019 contra 98 neste ano.

Na capital são cerca de 35 batalhões e na Grande São Paulo, cerca de 20, segundo site G1.

No total do estado de São Paulo, 291 pessoas foram mortas pelas polícias Civil e Militar em 2019. Neste ano, são 381. Desse total de mortes, 371 são de responsabilidade da PM, ou 97%. O número de policiais mortos também subiu no mesmo período: era 6 e passou para 16.

Estrangulamento

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um jovem negro de 19 anos sendo estrangulado duas vezes por um policial militar em Carapicuíba, na Grande São Paulo, no domingo (21).

O jovem desmaiou, em ambas as vezes, e foi colocado desacordado numa viatura da PM. Moradores filmaram a abordagem e divulgaram o vídeo. Os policiais foram afastados e o caso está sendo investigado, segundo a Secretaria de Segurança Pública.

O rapaz relata que foi abordado pelos oficiais na moto que dirigia com um amigo, em baixa velocidade, pois se desequilibrou e atingiu a moto de um dos agentes. Os policiais envolvidos afirmam que ele tentou fugir de abordagem de rotina. O jovem dirigia sem habilitação.

No entanto, as imagens filmadas não mostram o momento da abordagem. Mas capturaram o jovem, desarmado, sendo agredido pelos oficiais durante a ação.

O vídeo repercutiu nas redes sociais por lembrar o caso de George Floyd, americano negro morto estrangulado por um policial branco nos Estados Unidos, que espalhou e motivou ondas de protestos anti-racistas por todo mundo.

A Secretaria de Segurança Pública afirmou, em nota que "as polícias paulistas atuam para combater a criminalidade e proteger a população, levando à Justiça àqueles que infringem a lei" e que a Polícia Militar “realizará um programa de treinamento envolvendo todos os níveis hierárquicos, visando a reforçar os conhecimentos e técnicas da instituição”.

Além disso, disse que “governo do estado também iniciou a instalação de câmeras corporais nos uniformes dos agentes de segurança para dar mais transparência às ações da polícia."

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.