Mercado fechará em 38 mins
  • BOVESPA

    107.697,54
    +838,67 (+0,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.696,53
    +90,97 (+0,18%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,39
    +2,90 (+4,17%)
     
  • OURO

    1.783,90
    +4,40 (+0,25%)
     
  • BTC-USD

    51.034,34
    +2.157,13 (+4,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.314,09
    -7,19 (-0,54%)
     
  • S&P500

    4.688,90
    +97,23 (+2,12%)
     
  • DOW JONES

    35.730,61
    +503,58 (+1,43%)
     
  • FTSE

    7.339,90
    +107,62 (+1,49%)
     
  • HANG SENG

    23.983,66
    +634,28 (+2,72%)
     
  • NIKKEI

    28.455,60
    +528,23 (+1,89%)
     
  • NASDAQ

    16.301,50
    +458,75 (+2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3404
    -0,0832 (-1,30%)
     

Bastidores: tom por protesto já existia no Botafogo, mas elenco quis focar e confirmar apenas após vitória

·3 min de leitura


A conversa sobre protestos não surgiu do dia para a noite no Botafogo. O elenco, que anunciou uma "lei do silêncio" por conta de salários atrasados nesta quinta-feira, vinha conversando sobre essa possibilidade desde, pelo menos, a semana passada.

+ Energia da torcida faz diferença, Navarro é aclamado e Botafogo vai no ritmo para vitória de imposição

Os jogadores, contudo, não quiseram adotar o movimento de protesto contra os atrasos financeiros antes por conta do compromisso do Botafogo na Série B do Brasileirão. Com uma semana cheia para treinos, ficou combinado que o foco seria, primeiramente, fazer as atividades, melhorar e, aí sim, pensar em como fazer o protesto.

Com a goleada sobre o Brusque, os jogadores resolveram adotar a promessa. A conversa sobre o protesto ficaram intensificadas nos corredores do Estádio Nilton Santos na quarta-feira e o ato foi confirmado após a partida: na madrugada para esta quinta-feira, elenco e comissão técnica fecharam o acordo, divulgado pela manhã.

A intenção é pressionar a diretoria. Quase três meses de direitos de imagem estão em atraso. O plantel quer, após uma vitória e um clima tranquilo em relação à situação na Série B, uma resposta por parte dos mandatários.

Os dirigentes correm atrás do dinheiro. O Botafogo tem um acordo com o Sindeclubes, que paga a parte de CLT do salário dos jogadores a partir de verbas que estão bloqueadas na Justiça. O Alvinegro entrou com um pedido para também tentar um desbloqueio de verba para as quantias de imagem, explicando a situação vivida no elenco.

O PROTESTO
Com o combinado cumprido e a vitória conquistada, uma das conversas no vestiário após a partida foi para falar sobre o protesto. Líderes do elenco - entre eles Diego Loureiro e Joel Carli - "puxaram a responsabilidade" de tentar representar e falar por todo o elenco.

+ Rafael Navarro, do Botafogo, chega a 20 participações de gols na Série B e encosta na artilharia

Inicialmente, o planejamento seria de cada jogador divulgar o comunicado nas respectivas redes sociais. Isto mudou, e a carta dos jogadores foi publicada na imprensa na manhã desta quinta-feira. As contas pessoais dos atletas seguiram com as atividades normais.

Os jogadores formalizaram o conteúdo na noite de quarta-feira, após a partida contra o Brusque. A carta foi aprovada por todos os envolvidos e, assim, ficou combinado que seria o comunicado oficial do protesto.

Algumas pessoas no clube foram pegas de surpresa pela forma como o conteúdo foi propagado. O Botafogo planeja divulgar uma nota oficial sobre o assunto em breve.

Botafogo x Brusque - Comemoração Navarro
Botafogo x Brusque - Comemoração Navarro

Botafogo venceu o Brusque na Série B (Foto: Vítor Silva / Botafogo)

ENTENDA O CASO
Nem todos os jogadores recebem direitos de imagem. De fato, a maioria do elenco recebe apenas CLT. Mesmo assim, todos se uniram em prol do protesto e se fecharam para não conversar com a imprensa em entrevistas coletivas e exclusivas, algo que já havia acontecido em 2019.

+ Botafogo dá carta de desculpas após ofensas da torcida para bandeirinha em vitória na Série B

Os compromissos financeiros do Botafogo com direitos de imagem ultrapassam R$ 350 mil mensais.

O clube está em dia com a maior parte do plantel do que diz respeito à CLT. O acordo com o Sindeclubes garante o pagamento de R$ 71 mil para cada salário. Quem recebe acima desta quantia tem a diferença dos valores em aberto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos