Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.789,33
    +556,59 (+0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,03
    +900,05 (+1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    113,72
    +1,32 (+1,17%)
     
  • OURO

    1.811,70
    -7,20 (-0,40%)
     
  • BTC-USD

    30.495,48
    +495,71 (+1,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    677,94
    +435,26 (+179,36%)
     
  • S&P500

    4.088,85
    +80,84 (+2,02%)
     
  • DOW JONES

    32.654,59
    +431,17 (+1,34%)
     
  • FTSE

    7.518,35
    +53,55 (+0,72%)
     
  • HANG SENG

    20.602,52
    +652,31 (+3,27%)
     
  • NIKKEI

    26.659,75
    +112,70 (+0,42%)
     
  • NASDAQ

    12.567,50
    +7,25 (+0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2090
    -0,0014 (-0,03%)
     

Bases das forças armadas da Rússia são capturadas por satélites do Google Maps

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O Google Maps pode ter parado de desfocar as imagens de instalações militares em toda a Rússia como uma forma de retaliar o país pela guerra contra a Ucrânia. A "notícia" foi dada em primeira mão pelas Forças Armadas ucranianas via perfil oficial no Twitter, que comemorou o fato de poder visualizar melhor as bases russas.

Segundo o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, a resolução de 0,5 mega pixels, disponibilizadas na visualização de satélite do Google Maps, é bem inferior à qualidade das fotos disponibilizadas para o governo norte-americano. Mesmo assim, até onde se sabe, outras nações não têm acesso a esses dados preciosos de inteligência.

Uma das bases da Rússia, que supostamente estava embaçada, agora pode ser vista no Google Maps (Imagem: Reprodução/Google Maps)
Uma das bases da Rússia, que supostamente estava embaçada, agora pode ser vista no Google Maps (Imagem: Reprodução/Google Maps)

Desde que a invasão começou, no final de fevereiro, a comunidade OSINT no Twitter cataloga as baixas russas graças à geolocalização de imagens de tanques destruídos, veículos de combate, aeronaves e ataques de mísseis de cruzeiro. Os usuários chegaram a identificar pontos específicos destruídos e áreas estratégicas usadas pelo exército russo em Lipetsk.

Esses locais exibiam MiG-31 parcialmente desmontados ou destruídos e caças Sukhoi pintados com as cores russas. O Aeroporto Zhukovsky (foto acima), perto de Moscou, também exibia alguns armamentos militares posicionados do lado de fora, já que a área seria usada como centro de voo de teste, o que incluía um ônibus espacial Buran e um avançado Sukhoi Su-47.

Um porta-voz do Google disse ao site Ars Technica que a empresa não mudou nada na plataforma, portanto aparentemente as pessoas não estavam observando direito os mapas. Logo, as áreas borradas devem continuar assim, bem como os locais visíveis permanecerão como sempre foram.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos