Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.812,87
    +105,11 (+0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.729,80
    -4,24 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,67
    +0,17 (+0,19%)
     
  • OURO

    1.771,70
    +0,50 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    23.370,62
    +3,91 (+0,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    558,74
    +1,01 (+0,18%)
     
  • S&P500

    4.283,74
    +9,70 (+0,23%)
     
  • DOW JONES

    33.999,04
    +18,72 (+0,06%)
     
  • FTSE

    7.541,85
    +26,10 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    19.763,91
    -158,54 (-0,80%)
     
  • NIKKEI

    28.942,14
    -280,63 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.529,75
    +6,50 (+0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2349
    -0,0243 (-0,46%)
     

Barril de petróleo avança US$5, com dólar mais fraco e oferta apertada

(Reuters) - Os preços do petróleo subiram mais de 5 dólares nesta segunda-feira, impulsionados por um dólar mais fraco e pelas expectativas de que o Federal Reserve não aumentará as taxas de juros em um ponto percentual completo em próxima reunião para combater a inflação.

Os futuros de petróleo Brent de setembro subiram 5,11 dólares, ou 5,1%, para 106,27 dólares por barril, após avançarem 2,1% na sexta-feira.

Os futuros de petróleo WTI, dos EUA, para entrega em agosto subiram 5,01 dólares, ou 5,1%, a 102,60 dólares, depois de avançarem 1,9% na sessão anterior.

Na sexta-feira, dois funcionários do Federal Reserve indicaram que o Banco Central provavelmente só aumentará as taxas de juros em 75 pontos-base na reunião de 26 a 27 de julho. Relatórios anteriores de que o Fed estava considerando uma decisão de 100 pontos-base fizeram os mercados caírem no final da semana passada.

"O forte avanço de hoje resultou em grande parte de um enfraquecimento considerável e amplo do dólar, que forneceu um fator-chave por trás das oscilações diárias do preço do petróleo nas últimas semanas", disse Jim Ritterbusch, presidente da Ritterbusch and Associates.

Tanto o Brent quanto o WTI na semana passada registraram as maiores quedas semanais em cerca de um mês.

A oferta de petróleo continua apertada. Como esperado, a viagem do presidente dos EUA, Joe Biden, à Arábia Saudita não rendeu nenhuma promessa do principal produtor da OPEP de aumentar a oferta da commodity.

A Gazprom, monopólio russo de exportação de gás, declarou, nesta segunda-feira, força maior no fornecimento de gás para pelo menos um grande cliente da Europa, de acordo com uma carta à qual a Reuters teve acesso, potencialmente aumentando o conflito entre Moscou e a Europa.

Isso acrescentou suporte aos preços do petróleo, já que os operadores consideraram o episódio como um precursor das ações da Rússia para usar suas exportações de petróleo e gás como arma.

"O outro risco claro é que a Rússia vai reduzir ainda mais o fornecimento para a Europa para tentar aumentar o custo de apoio à Ucrânia", disse Helima Croft, chefe de estratégia global de commodities da RBC Capital Markets.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos