Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.933,78
    -180,15 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.072,62
    -654,36 (-1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,48
    +0,35 (+0,55%)
     
  • OURO

    1.771,20
    +0,60 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    56.313,23
    +79,21 (+0,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.274,43
    -24,53 (-1,89%)
     
  • S&P500

    4.163,26
    -22,21 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.077,63
    -123,04 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.000,08
    -19,45 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    29.106,15
    +136,44 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.685,37
    +2,00 (+0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.894,00
    -135,50 (-0,97%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6757
    -0,0104 (-0,16%)
     

A "barriga" do rover Perseverance caiu para abrir seu sistema de coletas

Wyllian Torres
·2 minuto de leitura

O rover Perseverance pousou em Marte em 18 de fevereiro deste ano. De lá para cá, ele tem feito uma série de checagens em seu sistema e equipamentos — é sempre bom lembrar que o rover é um laboratório ambulante —, confirmando se tudo está funcionando como o planejado. O teste mais recente foi a abertura da sua “barriga”, onde se localiza o sistema de amostragem. Agora o rover está mais próximo de iniciar sua coleta de rochas na cratera Jezero, seu local de pouso.

A notícia foi divulgada no último dia 13 através do Twitter do próprio Perseverance, que diz: “agora é verificar meu sistema de amostragem, uma vez que o painel de cobertura foi removido”. O sistema armazenará amostras que serão coletadas ao longo da trajetória do rover pela cratera Jezero — lembrando que o principal objeto dessa missão é a busca por fósseis de vida microbiana no passado distante de Marte.

Montagem feita pela equipe do rover monstra a tampa do sistema de coletagem caindo (Imagem: Reprodução/NASA/JPL)
Montagem feita pela equipe do rover monstra a tampa do sistema de coletagem caindo (Imagem: Reprodução/NASA/JPL)

Na barriga do veículo, estão todos os equipamentos e suprimentos necessários para a coleta. Entre eles, um carrossel de perfuração giratório — contendo diferentes tipos de brocas — e, ao lado, 43 tubos à disposição para serem preenchidos com as amostras do solo marciano que, em breve, serão adquiridas. Segundo a NASA: "enquanto o grande braço do rover se estende e perfura a rocha, a barriga do rover é o lar de um pequeno braço robótico que funciona como um 'assistente de laboratório' para o braço grande". O braço pequeno é responsável por levar o tubo até a perfuradora, preenchê-lo, selá-lo e, por fim, armazená-lo.

Em um futuro não muito distante, essas amostras serão alocadas em alguns pontos da superfície marciana — demarcados por coordenadas. A expectativa é que uma nova missão seja enviada para Marte, com o objetivo de recolher esses tubos preenchidos e trazê-los de volta para a Terra — a missão Mars Sample Return, desenvolvida pela parceria entre a NASA e a Agência Espacial Europeia (ESA), prevista para ser lançada em 2026.

Uma vez que essas amostras da superfície marciana retornarem para Terra, elas serão analisadas com instrumentos avançados dos laboratórios que temos por aqui — ou seja, análises mais aprofundadas serão feitas, em comparação com as ferramentas portáteis do rover.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: