Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    62.330,86
    +627,39 (+1,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

Barkin, do Fed, diz que economia ainda está longe de meta para redução do estímulo

Ann Saphir
·1 minuto de leitura
Presidente do Federal Reserve de Richmond, Thomas Barkin

Por Ann Saphir

(Reuters) - O presidente do Federal Reserve de Richmond, Thomas Barkin, disse nesta segunda-feira que não acredita que a economia dos Estados Unidos esteja perto do limite estabelecido pelo banco central antes de começar até mesmo a considerar a retirada de seu programa de compra de títulos.

"Não acho que no momento estejamos com um progresso substancial", disse Barkin, em referência à promessa do Fed de dezembro de continuar comprando títulos em seu ritmo mensal atual até que veja "um progresso substancial" na busca do pleno emprego e da meta de inflação de 2%.

"Quero andar uma boa parte do caminho antes de ter uma conversa sobre se fizemos um progresso substancial", disse Barkin na reunião anual da National Association for Business Economics.

Os comentários de Barkin ecoam os do chair do Fed, Jerome Powell, que disse na semana passada que não é hora de sequer começar a falar sobre a retirada das compras de títulos, apesar das previsões do crescimento mais rápido dos EUA em décadas para este ano.