Mercado abrirá em 9 h 30 min
  • BOVESPA

    110.334,83
    +299,66 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.784,58
    +191,67 (+0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,73
    -0,91 (-1,50%)
     
  • OURO

    1.708,80
    -14,20 (-0,82%)
     
  • BTC-USD

    49.017,49
    +2.169,47 (+4,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    981,45
    +53,22 (+5,73%)
     
  • S&P500

    3.901,82
    +90,67 (+2,38%)
     
  • DOW JONES

    31.535,51
    +603,14 (+1,95%)
     
  • FTSE

    6.588,53
    +105,10 (+1,62%)
     
  • HANG SENG

    29.324,53
    -128,04 (-0,43%)
     
  • NIKKEI

    29.554,75
    -108,75 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    13.246,25
    -33,50 (-0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7822
    -0,0134 (-0,20%)
     

Barkin, do Fed, diz que economia deve avançar mesmo sem a imunidade coletiva ao coronavírus

·1 minuto de leitura
Barraca de flores em Nova York no dia de São Valentim

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos podem ter dificuldades para alcançar a imunidade de rebanho ao coronavírus, mas a economia pode crescer rapidamente este ano mesmo sem ela, disse o presidente do Federal Reserve de Richmond, Tom Barkin, nesta sexta-feira.

"A hesitação individual será uma barreira real para a imunidade de rebanho", disse Barkin em comentários por webcast à Câmara de Comércio Harrisonburg-Rockingham, na Virgínia, citando estimativas de que talvez 85% da população precise ser vacinada para impedir a circulação do coronavírus.

"A boa notícia é que não tenho certeza se a economia exige isso (...). Ainda pode ser necessário algum cuidado, mas espero que aqueles que forem vacinados tenham uma grande demanda reprimida --por refeições, entretenimento, viagens ... Conforme os casos recuem com as vacinas, clima mais quente, espero que as empresas comecem a voltar às operações normais."