Mercado abrirá em 2 h 12 min
  • BOVESPA

    108.651,05
    +248,77 (+0,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.241,81
    -113,05 (-0,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    89,35
    -1,15 (-1,27%)
     
  • OURO

    1.809,10
    -3,20 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    23.068,54
    -318,43 (-1,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    536,07
    -21,28 (-3,82%)
     
  • S&P500

    4.122,47
    -17,59 (-0,42%)
     
  • DOW JONES

    32.774,41
    -58,13 (-0,18%)
     
  • FTSE

    7.497,09
    +8,94 (+0,12%)
     
  • HANG SENG

    19.610,84
    -392,60 (-1,96%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.063,50
    +32,00 (+0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2626
    +0,0299 (+0,57%)
     

Barkin, do Fed, diz que "definitivamente" vê sinais de desaceleração econômica

CHARLOTTE, EUA (Reuters) - A economia dos Estados Unidos está desacelerando, à medida que os consumidores são atingidos pela inflação e a demanda por bens impulsionada pela pandemia retorna a níveis mais normais, disse nesta terça-feira o presidente do Federal Reserve de Richmond, Thomas Barkin.

"Definitivamente, vejo sinais de abrandamento", disse Barkin, com as evidências "mais pronunciadas em famílias de baixa renda" e em partes da economia que viram a demanda aumentar durante a pandemia.

Embora as contratações continuem fortes, Barkin disse que ainda está tentando determinar se isso é impulsionado pela força econômica subjacente ou se por empregadores ainda marcados por dificuldades anteriores de contratação e determinados a reter trabalhadores.

(Por Howard Schneider)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos