Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.426,00
    -522,45 (-0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.831,95
    -213,15 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.861,20
    -0,20 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    54.721,72
    +467,27 (+0,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.402,14
    -65,80 (-4,48%)
     
  • S&P500

    4.704,54
    +15,87 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    35.870,95
    -60,10 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.255,96
    -35,24 (-0,48%)
     
  • HANG SENG

    25.319,72
    -330,36 (-1,29%)
     
  • NIKKEI

    29.683,09
    +84,43 (+0,29%)
     
  • NASDAQ

    16.494,75
    +13,50 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3313
    +0,0125 (+0,20%)
     

Bares esperam retomar vendas no verão da cerveja mais cara

·2 min de leitura

SÃO PAULO, SP, E BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O consumidor voltou a sair de casa para consumir cerveja e está gastando mais. Com a vacinação contra a Covid-19 avançada e os números de mortes pela doença em queda, os hábitos considerados indulgências voltam a tomar espaço no dia a dia.

Mas o verão 2022 será de cerveja mais cara. No fim de setembro, a Ambev, maior cervejaria do país, dona de marcas como Skol, Brahma e Antarctica, anunciou aumento entre 5% e 6% no preço das cervejas, incluindo embalagens descartáveis.

A aposta dos bares e restaurantes deve continuar sendo as cervejas em garrafas de 600 ml, formato tradicional nesse tipo de estabelecimento. Outros formatos de garrafas e bebidas premium em lata também ganham espaço, mas devem aparecer apenas de maneira complementar.

"Está todo mundo muito endividado, com o nível de consumo ainda sofrendo muito com emprego e renda fracos", diz Percival Maricato, presidente do conselho estadual da Abrasel-SP (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de São Paulo), o que justifica a predileção pelas garrafas de 600 ml.

Ainda assim, Maricato espera que o movimento chegue a dobrar em alguns estabelecimentos. "A pandemia também fez com que as pessoas queiram voltar a se ver, a se encontrar", diz.

Nos bares e restaurantes, as expectativas para os meses de novembro e dezembro são de casa cheia, especialmente naqueles de funcionamento noturno. O fim das restrições, a melhora nos números da pandemia e o pagamento do 13º salário são fatores favoráveis à movimentação da vida noturna.

Eliana Cassandre, diretora de marketing do grupo Petrópolis, dono da Itaipava, acredita que haverá um equilíbrio no consumo de cerveja entre bares e o supermercado (autosserviço). "O bar é um ambiente de entretenimento, do qual as pessoas ficaram muito tempo afastadas, mas agora estão voltando a frequentar para se relacionar, trocar ideias, rever os amigos, viver novas histórias", afirma.

A cervejaria preparou lançamentos para o fim de ano. Nesta quinta-feira (18), apresentou em Salvador (BA) a Itaipava 100% Malte, produzida apenas com água, lúpulo e maltes de cevada. O lançamento sai em garrafas retornáveis de 1 litro, 600 ml e 300 ml, latas de 269ml, 350ml (sleek) e 473 ml, além de long neck.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos