Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.232,74
    +1.308,56 (+1,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.563,98
    +984,08 (+1,98%)
     
  • PETROLEO CRU

    113,89
    +3,40 (+3,08%)
     
  • OURO

    1.822,90
    +14,70 (+0,81%)
     
  • BTC-USD

    29.977,89
    -928,42 (-3,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    667,04
    +424,36 (+174,87%)
     
  • S&P500

    4.008,01
    -15,88 (-0,39%)
     
  • DOW JONES

    32.223,42
    +26,76 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.464,80
    +46,65 (+0,63%)
     
  • HANG SENG

    19.950,21
    +51,44 (+0,26%)
     
  • NIKKEI

    26.547,05
    +119,40 (+0,45%)
     
  • NASDAQ

    12.236,75
    -146,00 (-1,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2803
    +0,0212 (+0,40%)
     

Barclays ganha mais de US$ 600 milhões com tumulto de emergentes

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- O aumento nas negociações de mercados emergentes do Barclays no último trimestre gerou uma receita de cerca de 500 milhões de libras (US$ 644 milhões) em meio à volatilidade desencadeada pela invasão da Ucrânia.

O aumento ocorreu porque os operadores do banco souberam aproveitar mercados turbulentos de câmbio e grandes movimentos nos chamados credit default swaps, segundo pessoas familiarizadas com o resultado, que pediram para não serem identificadas porque a empresa ainda não divulgou o balanço do primeiro trimestre. O banco deve divulgar os resultados em 28 de abril.

Os ganhos indicam que os traders do Barclays conseguiram navegar em um trimestre que viu as mesas de operação dos bancos se beneficiarem de uma atividade mais elevada, mas também enfrentaram o risco de grandes perdas em meio a mercados em rápida evolução.

O credor com sede em Londres faturou 1,2 bilhão de libras com renda fixa, moedas e negociação de commodities nos primeiros três meses de 2021, e analistas do setor dizem que os mercados emergentes normalmente respondem por menos de um quarto destas receitas nos principais bancos.

A negociação de moedas e juros de mercados emergentes gerou cerca de 400 milhões de libras no último trimestre, com cerca de metade vindo de apostas em moedas da Europa Central e Leste Europeu, Oriente Médio e África, disseram as pessoas.

A mesa de crédito de mercados emergentes do Barclays faturou cerca de 100 milhões de libras, grande parte com a disparada dos credit default swaps russos e ucranianos, disseram eles.

Um porta-voz do Barclays não quis comentar.

O desempenho deve ajudar o Barclays a compensar uma queda na atividade de fusões e aquisições e acompanhar os rivais de Wall Street que conseguiram manter ou até mesmo aumentar as receitas de negociação com renda fixa, moedas e commodities no primeiro trimestre.

Os mercados foram abalados no período pela guerra na Ucrânia, bem como pelos esforços globais para conter a inflação com aumento de taxas de juros. O custo de proteger títulos da dívida da russa contra calote por cinco anos subiu 1.100% no trimestre, com fortes oscilações diárias de preços, segundo dados compilado pela Bloomberg.

A Rússia violou os termos de dois títulos no mês passado, o que pode acionar até US$ 40 bilhões em credit default swaps se o país não pagar os detentores de títulos em dólares antes do período de carência da dívida terminar em 4 de maio.

O rublo russo perdeu mais de 10% em relação ao dólar no primeiro trimestre, enquanto o hryvnia ucraniano caiu cerca de 7%, segundo dados compilados pela Bloomberg.

“A volatilidade é uma coisa boa, mas você deve ter cuidado com o que deseja”, o CEO do Barclays C.S. Venkatakrishnan disse em março, quando sinalizou que negócios em larga escala e ofertas públicas iniciais desaceleraram após a invasão ucraniana.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos