Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.714,55
    +2.418,37 (+2,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.833,80
    -55,86 (-0,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,53
    -0,23 (-0,27%)
     
  • OURO

    1.805,00
    -1,80 (-0,10%)
     
  • BTC-USD

    62.771,87
    +1.012,98 (+1,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.507,07
    +1.264,39 (+521,01%)
     
  • S&P500

    4.566,48
    +21,58 (+0,47%)
     
  • DOW JONES

    35.741,15
    +64,13 (+0,18%)
     
  • FTSE

    7.222,82
    +18,27 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    26.135,34
    +3,31 (+0,01%)
     
  • NIKKEI

    29.128,49
    +528,08 (+1,85%)
     
  • NASDAQ

    15.567,50
    +71,75 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4480
    +0,0117 (+0,18%)
     

Bancos tradicionais perdem quase metade do mercado de pagamentos em 4 anos

·2 minuto de leitura

Os pagamentos realizados na plataforma brasileira Transfeera direcionados aos cinco maiores bancos do país foi de 100% a 53,7% em quatro anos (abril de 2017 a agosto deste ano), segundo um levantamento da fintech. As instituições bancárias responsáveis por essa porcentagem são Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica, Itaú e Santander.

A startup analisou mais de 6 milhões de transações no período, incluindo de pessoas físicas e jurídicas. A queda de participação dos cinco grandes bancos é consequência da concorrência que surgiu e cresceu nesse meio tempo: as plataformas de pagamentos e fintechs como o Nubank, Neon, Pagseguro, Banco Inter e afins.

Se contarmos só as transferências para pessoas físicas, a fatia perdida pelos grandes bancos foi um pouco menor. Eles estavam envolvidos em 100% das transações da Transfeera em 2017, mas neste ano ficaram com 56%. A Caixa Econômica Federal foi a que perdeu mais pagamentos, indo de 40% do total em 2017 para 14% agora. Em segundo lugar está o Santander, de 30% para 11% no período. Já o Nubank cresceu: tinha 10,5% em 2020 e atualmente cuida de 19,5% das transações.

Crescimento percentual de transferências realizadas por banco - Maiores: Banco do Brasil, Caixa Econômica, Itaú, Bradesco e Santander
Infogram

Mas com o recorte sendo apenas pagamentos para pessoas jurídicas, as grandes instituições perderam 32% (de 80% a 48,2%) do volume de transações em quatro anos. O Itaú perdeu bastante: foi o banco de 60% das movimentações e agora está com 10%. Já a Caixa caiu de 27% para 4% no período.

“O movimento do dinheiro para os canais digitais já não se enquadra como um diferencial, mas, sim, como uma obrigação. As fintechs se destacam justamente por possuírem soluções majoritariamente digitais, o que torna os negócios escaláveis, permitindo que ofereçam funcionalidades cada dia mais abrangentes aos clientes”, acredita Fernando Nunes, cofundador e diretor comercial da Transfeera.

Segundo a consultoria Atlantico, 40% do capital de risco investido na América Latina vão para fintechs, e o Brasil lidera essa tendência no continente, com é o lar de alguns unicórnios do setor, como Nubank, C6 Bank e Neon.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos