Mercado abrirá em 6 h 29 min
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,69 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,11 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,76
    +1,50 (+2,26%)
     
  • OURO

    1.782,50
    -1,40 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    48.997,41
    -190,54 (-0,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.262,04
    -179,72 (-12,46%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,72 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.464,66
    -302,03 (-1,27%)
     
  • NIKKEI

    27.936,76
    -92,81 (-0,33%)
     
  • NASDAQ

    15.739,00
    +21,25 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3796
    -0,0157 (-0,25%)
     

Bancos aliviam restrições ao crédito imobiliário na China

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- Na China, os bancos começaram a flexibilizar os controles de crédito para incorporadoras e compradores de residências, reagindo a orientações do governo em meio a preocupações com uma freada da economia.

Most Read from Bloomberg

Em algumas regiões, os bancos aceleraram a originação de empréstimos imobiliários e reduziram os juros das hipotecas, enquanto o ambiente de crédito para incorporadoras imobiliárias também melhora, segundo reportagem da publicação oficial Securities Times nesta sexta-feira.

Durante uma reunião realizada na semana passada em Pequim, o Banco Popular da China pediu aos bancos que “realizem empréstimos imobiliários de forma constante e mantenham a entrega estável e ordenada de crédito imobiliário”, de acordo com comunicado divulgado pelo banco central na quinta-feira.

As autoridades reguladoras estão tentando estabilizar o importante setor imobiliário. O agravamento da crise da dívida da China Evergrande Group e os esforços para controlar a especulação imobiliária acabaram esmagando a demanda e atingindo a economia.

O vice-premiê Liu He, visto como braço direito do presidente Xi Jinping, afirmou na semana passada que as necessidades de financiamento razoáveis das incorporadoras estão sendo atendidas e que o mercado imobiliário permanece em uma boa trajetória.

Os reguladores pediram que alguns grandes acelerassem a aprovação de hipotecas no último trimestre, conforme reportagem publicada pela Bloomberg no início deste mês. No final de setembro, autoridades pediram que as instituições financeiras cooperassem com os governos para manter o desenvolvimento estável e saudável do mercado imobiliário e salvaguardar os interesses de quem compra a casa própria.

O crescimento econômico desacelerou no terceiro trimestre. O setor imobiliário e a construção civil encolheram pela primeira vez desde o início da pandemia. As vendas de residências caíram 16,9% em setembro e os preços recuaram pela primeira vez em seis anos.

Alguns bancos reduziram o tempo necessário para aprovar empréstimos de seis meses para um ou dois meses, de acordo com a reportagem do Securities Times. Os juros do financiamento imobiliário em algumas cidades diminuíram. Em Chengdu, no sudoeste do país, os juros recuaram de 5,8%-6% para 5,6%.

O ambiente de crédito para incorporadoras deve melhorar no quarto trimestre e no primeiro semestre do ano que vem, com a expectativa de maior apoio aos principais participantes desse segmento, segundo o artigo.

O jornal também fez um alerta, afirmando que as medidas não configuram um alívio generalizado no crédito para o mercado imobiliário em todo o país e que as políticas públicas devem permanecer restritivas de modo geral.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos