Banco Mundial reformas em países em desenvolvimento

O Banco Mundial voltou a pedir, em relatório sobre previsões econômicas globais, que os países em desenvolvimento se concentrem em reformas políticas internas - investimentos em infraestrutura, saúde e educação -, além das políticas fiscal e monetária, para construir uma fundação mais forte para o crescimento no longo prazo.

As economias em desenvolvimento foram responsáveis por mais da metade do crescimento global no ano passado. Coletivamente, elas tiveram expansão de 5,1% em 2012 e deverão crescer 5,5% neste ano. Esse ritmo é bem mais lento do que o ritmo da última década, mas ainda é bem mais rápido do que a taxa média de crescimento de cerca de 3,5% registrada nas décadas de 1970 e 1980.

O crescimento no comércio global perdeu força e fiu de apenas 3,5% em 2012, em parte por causa da atividade industrial e dos investimentos fracos nas economias avançadas. Segundo o Banco Mundial, o comércio global deverá crescer 6,0% neste ano, à medida que as economias em desenvolvimento observarem mais demanda doméstica e criarem novos laços comerciais.

Kaushik Basu, economista-chefe do Banco Mundial, destacou que o movimento dos EUA para evitar o chamado abismo fiscal é reconfortante para as economias emergentes, tendo em vista a importância dos EUA para esses países. "Para países em desenvolvimento, nada é realmente tão importante quanto uma economia norte-americana estável e firme", declarou. As informações são da Dow Jones.

Carregando...