Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.750,22
    +1.458,62 (+1,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.646,03
    -288,18 (-0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,09
    +0,45 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.837,70
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    18.949,46
    +54,94 (+0,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    365,19
    -14,05 (-3,71%)
     
  • S&P500

    3.699,12
    +32,40 (+0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.218,26
    +248,74 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.550,23
    +59,96 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.509,25
    +47,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2497
    +0,0137 (+0,22%)
     

Banco Inter compra 45% da adquirente Granito

Por Paula Arend Laier
·1 minuto de leitura

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Banco Inter assinou memorando de entendimento vinculante para aquisição de 45% da Granito, empresa de soluções em pagamentos do Banco BMG, segundo fato relevante do banco digital à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Com o fechamento da operação, o Inter realizará um aporte primário de 90 milhões de reais na adquirente pela participação, com Banco BMG e executivos da Granito ficando com 45% e 10%, respectivamente, do capital da companhia.

Fundada em 2015, a Granito atua no setor de captura de pagamento, desenvolvendo produtos customizados para seus clientes. Atualmente, trabalha com mais de 20 bandeiras, possui mais de 20 parceiros e escritórios comerciais próprios.

De acordo com o comunicado do Inter, a empresa possui mais de 27 mil clientes e apurou um volume total em compras (TPV) de cerca de 1 bilhão nos primeiros nove meses de 2020.

"A adquirência é o braço que faltava para empresas de médio porte... Vamos entrar no mundo digital da adquirência, ganhar escala para atender os mais de 600 mil empresários correntistas do Inter", afirmou o presidente do Inter, João Vitor Menin.

O fechamento definitivo da operação está sujeito à aprovação pelo Banco Central e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).