Mercado fechará em 3 h 27 min
  • BOVESPA

    129.622,09
    -585,87 (-0,45%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.955,57
    -73,97 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,75
    +0,87 (+1,23%)
     
  • OURO

    1.857,00
    -8,90 (-0,48%)
     
  • BTC-USD

    40.024,34
    -276,50 (-0,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    997,65
    -12,96 (-1,28%)
     
  • S&P500

    4.247,20
    -7,95 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.271,06
    -122,69 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.172,48
    +25,80 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    28.638,53
    -203,60 (-0,71%)
     
  • NIKKEI

    29.441,30
    +279,50 (+0,96%)
     
  • NASDAQ

    14.069,00
    -55,75 (-0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1639
    +0,0324 (+0,53%)
     

R$ 8 bilhões estão "esquecidos" em instituições financeiras

·1 minuto de leitura
Real - Brazilian Currency. Money, Dinheiro, Reais, Brasil. Coins and Banknotes from Brazil.
Cerca de R$ 8 bilhões foram esquecidos em instituições financeiras, segundo Banco Central
  • Banco Central anunciou sistema de consulta e resgate de recursos esquecidos em instituições financeiras

  • Valor total chega a R$ 8 bilhões

  • Projeto começou a ser desenvolvido em 2020, devido ao impacto da pandemia

O Banco Central anunciou nesta terça-feira (1º) que planeja lançar em 2021 um sistema de consulta e resgate de cerca de R$ 8 bilhões em recursos esquecidos em instituições financeiras. Chamado de SVR (Sistema de Informações de Valores a Receber) poderá ser utilizado por pessoas físicas e empresas. As informações são do Brasil Econômico.

Leia também:

Além de outras origens, esses recursos correspondem a valores de contas encerradas, parcelas de empréstimos e tarifas cobradas de forma indevida, recursos não procurados depois do fim de contratos de consórcios e cotas de capital de cooperativas de crédito.

Objetivo

Em nota, o Banco Central disse que o objetivo do SVR é facilitar a comunicação entre instituições e clientes. “Com o novo sistema, a partir das informações remetidas periodicamente pelas instituições financeiras ao Banco Central, as pessoas naturais e pessoas jurídicas poderão consultar a existência de eventual valor a receber”, completou a entidade. 

Esse projeto começou a ser desenvolvido em junho de 2020, com as pressões econômicas provocadas pela pandemia da covid-19.