Mercado fechará em 3 h 38 min
  • BOVESPA

    117.476,64
    +278,82 (+0,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.230,19
    +384,36 (+0,84%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,28
    +0,52 (+0,59%)
     
  • OURO

    1.715,70
    -5,10 (-0,30%)
     
  • BTC-USD

    20.047,63
    -100,12 (-0,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    455,90
    -7,22 (-1,56%)
     
  • S&P500

    3.757,62
    -25,66 (-0,68%)
     
  • DOW JONES

    30.061,93
    -211,94 (-0,70%)
     
  • FTSE

    6.997,27
    -55,35 (-0,78%)
     
  • HANG SENG

    18.012,15
    -75,82 (-0,42%)
     
  • NIKKEI

    27.311,30
    +190,80 (+0,70%)
     
  • NASDAQ

    11.572,75
    -51,00 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0929
    -0,0433 (-0,84%)
     

Banco Central da China pausa flexibilização monetária

XANGAI(Reuters) - O banco central da China renovou parcialmente empréstimos de médio prazo, mantendo a taxa de juros inalterada como esperado nesta quinta-feira, com o aperto do Federal Reserve dos Estados Unidos limitando o espaço de manobra da política monetária para apoiar a economia.

A pausa na flexibilização monetária ocorre conforme o iuan sofre crescente pressão negativa depois que o Banco Popular da China (PBOC) surpreendeu os mercados em agosto ao reduzir as taxas-chave, um movimento que ampliou ainda mais a divergência da política monetária com outras grandes economias que estão aumentando os juros de forma agressiva.

O banco central disse estar mantendo a taxa dos 400 bilhões de iuans (57,46 bilhões de dólares) de empréstimos de médio prazo de um ano para algumas instituições financeiras inalterada em 2,75% em relação à operação anterior.

Com 600 bilhões de iuans desses empréstimos vencendo no mesmo dia, isso resultou em uma retirada líquida de 200 bilhões de iuans do sistema bancário.

O banco central disse em um comunicado online que a operação de quinta-feira "manterá a liquidez do sistema bancário razoavelmente ampla".

Em uma pesquisa com 28 observadores de mercado realizada esta semana, 27 entrevistados não previam nenhuma mudança na taxa dos empréstimos de médio prazo. E entre eles, 17 esperavam que o banco central renovasse parcialmente os empréstimos vincendos, enquanto os outros 10 projetavam uma rolagem total.

(Por Winni Zhou e Brenda Goh)