Mercado fechará em 6 h 47 min

Banco do Brasil pagará R$ 1,2 bilhão em juros sobre capital próprio

Poliana Santos
Banco do Brasil pagará R$ 1,2 bilhão em juros sobre capital próprio

O Banco do Brasil (BBSA3) comunicou ao mercado que seu conselho administrativo aprovou a distribuição de R$ 1,242 bilhão em juros sobre capital próprio (JCP).

Esse valor é equivalente a R$ 0,43806739228 por ação. A distribuição é referente ao lucro registrado no quarto trimestre do ano de 2019.

O JCP pode apresentar mudança pois o seu valor esta atrelado a taxa básica de juros (Selic), da data do balanço até a data do pagamento, que deve ocorrer no dia 5 de março de 2020.

Veja Também: Banco do Brasil: avanço das fintechs deve pressionar privatização, diz CEO

"O crédito será por conta corrente, poupança-ouro ou por caixa. Os acionistas cujos cadastros estejam desatualizados terão suas remunerações retidas até a efetiva regularização de seus registros em uma das agências do Banco do Brasil", informou a instituição financeira.

Banco do Brasil registra lucro líquido de R$ 5,6 bi no 4T19

O Banco do Brasil registrou lucro líquido de R$ 5,6 bilhões no quarto trimestre de 2019. Esse valor é equivalente ao aumento de 49,7%, em comparação de mesmo período no ano de 2018. Em relação ao trimestre anterior, alta de 33,8%, quando havia registrado lucro de R$ 4,2 bilhões.

Por sua vez, o lucro líquido ajustado do Banco do Brasil ficou em R$ 4,6 bilhões, em comparação com o quarto trimestre de 2018, esse valor é correspondente a uma alta de 20,3%. No ano de 2019, o lucro total foi de R$ 17,8 bilhões, avanço de 32,1%.

A margem financeira avançou para R$ 14 bilhões, crescimento de 11,6% na comparação anual. As despesas com provisões para créditos de liquidação duvidosa atingiram R$ 2,9 bilhões.

O índice de inadimplência, INAD+90d, demonstrou redução frente a setembro e alcançou 3,27% em dezembro de 2019.

As receitas com prestação de serviços do Banco do Brasil cresceram 6,4%, "resultado da estratégia centrada no relacionamento e na melhoria constante da experiência do cliente". As despesas administrativas aumentaram 11,7%.