Mercado fechado

Banco americano é multado em US$ 31 milhões por negar crédito a bairros negros

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O Departamento de Justiça dos Estados Unidos fez um acordo de mais de US$ 31 milhões (cerca de R$ 160 milhões) com o City National Bank depois que o banco americano foi acusado de evitar oferecer empréstimos hipotecários em bairros de maioria negra ou hispânica de Los Angeles, na Califórnia.

De acordo com o órgão, a maior parte do recurso, US$ 29,5 milhões (cerca de R$ 150 milhões), será investida pela instituição em um fundo de subsídio de empréstimo para residentes de bairros negros e latinos de Los Angeles.

O banco também terá de promover um curso de educação financeira aos moradores e abrir uma nova filial em um bairro negro e latino, entre outras obrigações.

A recusa do City National Bank em conceder crédito a pessoas de minorias raciais teria ocorrido de 2017 a 2020, segundo o Departamento de Justiça. A prática, que é conhecida nos EUA como redlining, é um problema antigo no país.

De acordo com o Departamento de Justiça, o caso City National foi o maior acordo já feito pelo órgão com um banco acusado de redlining.