Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,47 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,20 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,52
    -0,19 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.783,10
    -22,40 (-1,24%)
     
  • BTC-USD

    18.043,04
    +274,99 (+1,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,27
    -4,23 (-1,25%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,87 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,28 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,41 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.273,25
    +121,00 (+1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3922
    +0,0523 (+0,82%)
     

Balanços impulsionam grandes oscilações nos mercados acionários europeus antes do Fed

Por Sruthi Shankar
·2 minuto de leitura

Por Sruthi Shankar

(Reuters) - Os principais índices de referência da Europa fecharam praticamente estáveis nesta quarta-feira com os investidores aguardando notícias do Federal Reserve, mas uma enxurrada de balanços provocou grandes oscilações em ações individuais.

Quando o Fed concluir sua reunião de política monetária nesta quarta-feira, os investidores esperam que as autoridades reiterem sua postura expansionista de apoiar os mercados financeiros em meio aos custos da pandemia de coronavírus.

Em dia agitado de balanços, o índice FTSEurofirst 300 caiu 0,01%, a 1.431 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 0,06%, a 367 pontos.

Os setores de saúde e bancos pressionaram o índice principal, enquanto os varejistas subiram 1,4%.

A farmacêutica GlaxoSmithKline caiu 3,2%, pois não alcançou as estimativas para o lucro do segundo trimestre devido a vendas mais baixas de suas vacinas existentes, enquanto o credor Barclays despencou 6,1% depois de reservar um valor acima do esperado de 1,6 bilhão de libras (2,1 bilhões de dólares) para cobrir um possível aumento nas perdas com empréstimos devido à pandemia.

Essa dupla ajudou a manter o FTSE 100 , de Londres, quase estável.

O CAC 40, da França, superou seus pares continentais com um ganho de 0,6% após balanços positivos do grupo de luxo Kering, do grupo de equipamentos elétricos Schneider Electric e da consultoria Capgemini.

"Os mercados se recuperaram agressivamente recentemente, então o que estamos vendo são empresas chegando com números melhores, mas sem um impulso adicional nos mercados", disse Will James, vice-chefe de ações europeias da Aberdeen Standard Investments.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,04%, a 6.131 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,10%, a 12.822 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,61%, a 4.958 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,11%, a 19.880 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,55%, a 7.206 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,27%, a 4.395 pontos.