Mercado fechado

Balanço oficial do novo coronavírus passa dos 1.100 mortos na China

O novo coronavírus COVID-19 causou a morte de 1.113 pessoas na China, com 97 novos óbitos reportados nesta quarta-feira (noite de terça, 11, no Brasil) pela Comissão Nacional de Saúde.

Em seu boletim diário, a comissão divulgou cerca de 2.000 novos casos de contágio, sendo que 1.638 foram diagnosticados na província de Hubei, onde a doença surgiu em dezembro passado.

Em todo país, o número total de pessoas infectadas chega 44.600.

Nesta terça, a Organização Mundial da Saúde (OMS) avaliou que existe "uma possibilidade realista de parar" a propagação do coronavírus se forem feitos investimentos de forma coordenada.

"Se investirmos agora (...), temos uma possibilidade realista de parar esta epidemia", destacou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em coletiva de imprensa em Genebra, Suíça.

Quatrocentos cientistas de todo o mundo começaram na terça-feira uma reunião de dois dias de duração nesta cidade suíça sob os auspícios da OMS, com o objetivo de intensificar a luta contra esta nova doença.

O novo coronavírus passou a ser identificado como COVID-19 para que seja "fácil de pronunciar", sem ser uma referência "estigmatizante" para um país ou população em particular, explicou Ghebreyesus.

O diretor-geral da OMS explicou que "co" significa "corona"; "vi", "vírus" e "d", uma "doença". O número 19 faz alusão ao ano em que apareceu, 2019.