Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,26
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.799,90
    -1,90 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    35.710,87
    +1.305,40 (+3,79%)
     
  • CMC Crypto 200

    860,36
    +66,62 (+8,39%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,82 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    15.114,25
    +16,25 (+0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1212
    -0,0004 (-0,01%)
     

Balanço mundial da pandemia de coronavírus em 18 de julho

·2 minuto de leitura
Profissionais da saúde cuidam de paciente com covid-19 na UTI do Hospital San Roque de Córdoba, Argentina

A pandemia do coronavírus provocou ao menos 4.086.242 mortes no mundo desde que o escritório da Organização Mundial da Saúde (OMS) na China registrou a aparição da doença em dezembro de 2019, segundo um balanço estabelecido pela AFP neste domingo (18) às 07h00 (horário de Brasília) com base em fontes oficiais.

Desde o início da epidemia, mais de 189.911.110 pessoas contraíram a doença. A grande maioria dos infectados se recupera, mas uma parte ainda mal avaliada conserva os sintomas durante semanas ou meses.

Os números se baseiam nos relatórios comunicados diariamente pelas autoridades de saúde de cada país e descartam as correções realizadas posteriormente pelos diferentes órgãos de estatística, que concluem que a quantidade de vítimas é muito maior.

A OMS estima inclusive que, se considerar a sobremortalidade vinculada à covid-19, direta e indireta, o balanço da pandemia poderia ser duas a três vezes maior que o registrado oficialmente.

Uma grande parte dos casos menos graves ou assintomáticos continua sem ser detectada, apesar da intensificação dos testes em vários países.

No sábado, o mundo registrou 7.253 novas mortes e 463.309 casos da doença.

Os países que registraram mais mortes, segundo os últimos balanços oficiais, são Indonésia com 1.093, Brasil (868) e Rússia (764).

A quantidade de mortos nos Estados Unidos chega a 608.898, com 34.069.082 casos.

Depois dos Estados Unidos, os países com mais vítimas mortais são Brasil, com 541.266 mortos e 19.342.448 casos, Índia, com 413.609 mortos (31.106.065 casos), México, com 236.240 mortos (2.654.699 casos) e Peru, com 195.047 mortos (2.092.125 casos).

Entre os países mais afetados, o Peru registra a maior taxa de mortalidade, com 592 mortes a cada 100.000 habitantes, seguido pela Hungria (311), Bósnia (295), República Tcheca (283) e Macedônia do Norte (263).

Neste domingo às 07h00 de Brasília e desde o início da pandemia, América Latina e Caribe somam 1.328.964 mortes (39.432.328 contágios), Europa 1.186.886 (56.338.922), Estados Unidos e Canadá 635.390 (35.491.904), Ásia 621.694 (42.506.537), África 157.170 (6.201.887), Oriente Médio 154.935 (9.871.473) e Oceania 1.203 (68.062).

Este balanço foi realizado com dados das autoridades nacionais coletados pelos escritórios da AFP e com informações da OMS.

Devido a correções das autoridades ou à publicação tardia dos dados, o aumento dos números publicados em 24 horas pode não corresponder exatamente com os números do dia anterior.

bur-kau/mar/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos