Mercado abrirá em 4 h 47 min
  • BOVESPA

    120.700,67
    +405,99 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.514,10
    +184,26 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,51
    +0,05 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.764,00
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    61.746,05
    -1.459,45 (-2,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.374,43
    -6,52 (-0,47%)
     
  • S&P500

    4.170,42
    +45,76 (+1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.035,99
    +305,10 (+0,90%)
     
  • FTSE

    7.004,60
    +21,10 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    28.999,98
    +206,84 (+0,72%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    13.978,00
    -36,00 (-0,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7152
    -0,0059 (-0,09%)
     

Balança comercial tem superávit de US$1,189 bi na 3ª semana de março--ministério

·1 minuto de leitura
Porto de Paranaguá

(Reuters) - A balança comercial brasileira registrou superávit de 1,189 bilhão de dólares na terceira semana de março, o que elevou o resultado do acumulado do mês para 1,268 bilhão de dólares, mostraram dados do Ministério da Economia nesta segunda-feira.

Na terceira semana do mês, as exportações somaram 5,004 bilhões de dólares, ao passo que as importações totalizaram 3,815 bilhões de dólares.

Pelas médias diárias, as exportações cresceram 20% na terceira semana sobre o mesmo período do ano passado, enquanto as importações aumentaram 15,6%.

Em março até a terceira semana, as exportações totalizaram 15,808 bilhões de dólares (+26,4% pela média diária), e as importações ficaram em 14,540 bilhões de dólares (+46,9%).

No acumulado de 2021, o saldo comercial brasileiro é de 1,435 bilhão de dólares, resultado de 46,939 bilhões de dólares em exportações e de 45,504 bilhões de dólares em importações.

O superávit comercial da parcial de 2021 é 62,5% inferior ao do mesmo intervalo de 2020, considerando a média diária, com o aumento das importações (+21,1%) superando o das exportações (+13,4%).

(Texto de José de Castro)