Mercado fechado

Balança comercial registra superávit de US$ 46,7 bilhões, pior resultado desde 2015

THIAGO RESENDE

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Por causa de uma queda mais acentuada nas exportações, a balança comercial brasileira fechou o ano passado com superávit de US$ 46,7 bilhões. Esse é o pior resultado desde 2015, quando o saldo foi de US$ 19,5 bilhões.

Em relação a 2018, quando foi registrado um superávit de US$ 58 bilhões, o resultado do comércio internacional brasileiro apresentou um recuo de quase 20%.

A queda é explicada, principalmente, pelo desempenho das exportações, que caíram 7,5% para US$ 224 bilhões.

As importações diminuíram, mas em proporção menor. A redução foi de 3,3%, chegando a US$ 177,3 bilhões.

Em 2019, as vendas do Brasil para o exterior recuaram mais em relação a produtos manufaturados (-11,1%). Esse resultado, que compacta com o desempenho do ano anterior, foi puxado pelos embarques de plataformas de petróleo, veículos de carga e automóveis.

As exportações de semimanufaturados e de produtos básicos caíram 8% e 2%, respectivamente.

Dados divulgados pelo Ministério da Economia nesta quinta-feira (2) também mostraram que, no ano passado, o Brasil vendeu menos para Mercosul, América Central e Caribe, União Europeia, África e Ásia.

As exportações subiram apenas para Oceania e para o Oriente Médio.