Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.684,22
    -759,27 (-1,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -226,75 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Bain Capital planeja fundo de hedge focado em investimento verde

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A Bain Capital vai iniciar um fundo de hedge para apostar a favor e contra empresas com base em critérios de investimento sustentável, como parte da unidade de ações listadas de cerca de US$ 3 bilhões da gestora de ativos alternativos.

A empresa, que já tem uma estratégia privada para investimentos de impacto, espera lançar o fundo até outubro, de acordo com documento de investidores visto pela Bloomberg. O fundo terá como foco ações de consumo, financeiras, de tecnologia e de saúde e investirá globalmente em empresas com valores de mercado superiores a US$ 1 bilhão.

O fundo evitará investimentos em indústrias intensivas em energia, visando uma carteira de baixo carbono, segundo uma pessoa a par do assunto. Terá um período de resgate diário e inicialmente cobrará taxa de administração de 0,9% e uma comissão de desempenho de 12,5%, abaixo do modelo tradicional de fundos de hedge com taxas de 2% e 20%, respectivamente.

A equipe de ações listadas, liderada pelo diretor de investimentos Joshua Ross, começou a implementar uma estrutura sustentável em seu processo de investimento de estratégias em 2018, disse a pessoa. O fundo long-short (comprado-vendido) de ações globais, de US$ 1,6 bilhão, gerou retorno líquido anualizado de 10% nos quatro anos até 31 de julho, segundo o documento. O grupo também administra uma estratégia global de ações long only (apenas comprado) com estrutura semelhante.

Um porta-voz da Bain, que tem sede em Boston e administra cerca de US$ 140 bilhões, não quis comentar.

Empresas de investimento buscam cada vez mais estratégias verdes com o crescente capital destinado a ajudar a abordar a mudança climática e outras questões sociais. Na divisão de private equity, a Bain levantou seu primeiro fundo de impacto em 2017 e, desde então, investiu em 13 empresas de portfólio, de acordo com o site da empresa. Sua estratégia Double Impact tinha cerca de US$ 1 bilhão em ativos no final do ano.

O novo fundo sustentável vai integrar padrões ambientais, sociais e de governança ao processo de investimento e avaliará como esses fatores afetarão as margens operacionais e o poder de lucro das empresas, de acordo com o documento. O objetivo é investir em empresas que tenham boas estruturas de gestão, de relações trabalhistas, de remuneração e de conformidade tributária.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos