Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.481,58
    -153,25 (-0,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

Bactéria da hanseníase pode ajudar a regenerar órgãos

Segundo um novo estudo publicado na Cell Reports Medicine, a bactéria Mycobacterium leprae, responsável pela hanseníase (que ficou popularmente conhecida pelo nome de lepra), pode auxiliar na reparação e na regeneração de órgãos com segurança. Por enquanto, os experimentos foram conduzidos apenas em animais — tatus, mais precisamente.

Através da pesquisa, o grupo descobriu que a bactéria é capaz de dobrar o tamanho do fígado, estimulando o crescimento saudável. Acontece que, para ter mais tecido para infectar, a M. leprae converte um tipo de tecido corporal em outro, habilidade esta que chamou a atenção da comunidade científica.

Diferente do que se imagina, os cientistas mostraram no novo artigo que esse crescimento não é defeituoso, mas sim saudável e funcional, completo com o conjunto usual de vasos sanguíneos e ductos biliares.

Bactéria da hanseníase pode ajudar a regeneração de órgãos (Imagem: claudioventrella/Envato)
Bactéria da hanseníase pode ajudar a regeneração de órgãos (Imagem: claudioventrella/Envato)

Conforme notaram os pesquisadores, a bactéria está fazendo com que o desenvolvimento do fígado volte a um estágio anterior. De modo bem resumido, é como se ele estivesse transformando um órgão adulto em um adolescente. Entretanto, ainda não se sabe detalhes precisos de como isso acontece.

Ao conduzir esse tipo de pesquisa com a bactéria da hanseníase, os especialistas esperam que isso ajude no desenvolvimento de terapias voltadas à reparação de órgãos de pessoas que esperam por um transplante. "No geral, os resultados podem abrir caminho para novas abordagens terapêuticas para o tratamento de doenças hepáticas", concluem os autores.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: