Mercado abrirá em 4 h 24 min

B2B or not 2B | Resumo semanal do mundo da tecnologia corporativa (22/6 a 26/6)

Stephanie Kohn

Bem-vindo ao nosso resumo semanal do mundo corporativo. Toda sexta-feira selecionamos as principais notícias que rolaram nos últimos dias para você ficar por dentro dos assuntos mais relevantes do momento. De estratégias de negócios até problemas judiciais, aqui você se atualiza em poucos minutos. Confira!

Mobile First

Um estudo da consultoria Deloitte para a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) trouxe uma série de informações sobre a digitalização dos serviços financeiros no Brasil em 2019. A mais relevante delas é que os celulares foram os principais responsáveis pelo volume de transações financeiras no país, 44%. Além disso, a maioria dos clientes mobile banking (51%) acessa seu banco 40 vezes no mês, em média.

No geral, as transações bancárias cresceram 11% em 2019 em relação ao ano anterior, enquanto as operações pelo Mobile Banking tiveram um aumento 19% no mesmo período, puxado pelo incremento de 41% nas transações com movimentação financeira.

O estudo ainda revela que quase 7,5 milhões de contas foram abertas em canais digitais no ano passado e foram contratados 3 milhões de seguros em canais digitais no período, o que representa 12% do total. Para saber mais, acesse o estudo completo aqui.

Super apps

Um levantamento feito pela Navita, empresa especializada em serviços gerenciados de mobilidade, TI e telecom, apontou que o WhatsApp e o Adobe Acrobat foram os aplicativos mais baixos em dispositivos corporativos ao longo de 2020. A conclusão foi feita a partir da análise de 20 mil celulares corporativos, que mostrou que no período houve 45.586 downloads de apps.

Desse pouco mais de 45,5 mil downloads de apps , se destarcaram aqueles pertencentes às categorias de "Produtividade" (8.846 downloads ou 19,21%) e "Comunicação" (7.344 ou 16,11%). Individualmente, o campeão foi o WhatsApp, instalado em 3.693 aparelhos (ou 8,10% do total), o que mostra a sua ampla adoção não somente para uso pessoal, como também para fins profissionais, dada a sua gama cada vez maior de recursos - o que, em breve, pode lhe incluir entre os chamados "super apps".

Já o Adobe Acrobat - que permite a conversão de documentos de diversos formatos em arquivos PDF - obteve o segundo lugar do pódio, com 2.524 (ou 5,48% do total). Confira abaixo a relação completa dos apps mais baixados por categoria:

Produtividade

Adobe Acrobat – 2.524 ou 5,48%
Power Point – 636 ou 1,38%
Office Mobile – 627 ou 1,36%
Outlook – 587 ou 1,27%
Word – 564 ou 1,22%



De novo!

Prevista para acontecer nesta quinta-feira (25), a votação do projeto de lei (PL) 2.630/2020 - também conhecido como "lei de combate as fake news - vem sofrendo pressão por parte dos senadores para ser adiada mais uma vez. No entanto, o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), confirmou que ela irá a plenário no dia planejado. Inclusive, o texto final da proposta já foi apresentado pelo relator, senador Angelo Coronel (PSD-BA).

A PL 2.630 traz diversos pontos polêmicos e vem enfrentando resistência de parte dos senadores. Nas redes sociais, alguns argumentaran que o tema precisa de mais discussão - para citar um exemplo, o Marco Civil da Internet exigiu quatro anos de debates e discussões entre diversos setores da sociedade. Hoje, a lei é uma referência entre diversos países do mundo. Se por um lado, parte do Senado pede um tempo maior para analisar o projeto de lei, outra parte da casa legislativa quer que o PL entre em plenário o quanto antes.

No entanto, o pouco tempo para discutir os impactos da PL 2630 é uma das principais reclamações de especialistas e setores da sociedade civil. “Essa PL, ainda que bem intencionada, é um assunto extremamente complexo e não pode ser tocado com essa rapidez. Não é possível discutir um tema dessa natureza, com responsabilidade, em apenas um mês, ainda mais quando o país enfrenta uma pandemia”, disse Marcos Dantas, professor titular da escola de Comunicação da UFRJ e membro do CGI.br, o Comitê Gestor da Internet no Brasil.

Sem parada

Mesmo com a situação de pandemia gerada pela COVID-19 e a consequente crise global, a adoção do 5G pelo mundo vem crescendo em ritmo acelerado. Segundo a 5G Américas, associação setorial de tecnologias móveis para as Américas, o número de conexões e redes móveis de quinta geração contou com mais de 63,6 milhões de conexões no mundo inteiro no primeiro trimestre de 2020, um crescimento de 308,66% comparado com o trimestre anterior. Os números foram dvulgados pela Omdia, consultoria de pesquisa especializada em TI.

De acordo com dados da TeleGeography, 82 redes comerciais 5G já estão em operação no mundo inteiro, número este que deve crescer mais de 100% até o final de 2020 - totalizando 206 redes. Além disso, o Relatório Ericsson Mobilidade de junho de 2020 revela que mais de 100 modelos de dispositivos 5G já podem ser encontrados no mercado global, oferecendo cada vez mais suporte para frequências de banda baixa, média e milimétrica (mmWave).

A vez dos games

O relatório da empresa de pesquisa Newzoo aponta que o setor de games da América Latina deverá crescer 10,3% em 2020 na comparação anual, gerando US$ 6 bilhões em receita. O documento ainda revela que o segmento chegará a US$ 8 bilhões de dólares até 2023.

A América Latina é a região com o segundo maior crescimento esperado para este ano, atrás apenas da região composta por Oriente Médio e África (+14,5%), porém ainda representa apenas 4% da receita total esperada de US$ 159 bilhões no mundo, o que representa uma alta de 9,3% ante 2019.

De acordo com a pesquisa, que abrange dados de jogos para computadores, consoles e smartphones, as medidas de isolamento social causadas pela pandemia do Coronavírus tiveram um impacto significativo na expansão do setor, com as pessoas jogando mais enquanto permanecem em suas casas.

Fonte: Canaltech