Mercado fechado

Azul revisa guidances para 2019; margem Ebit deve ficar em torno de 18%

Letícia Fucuchima

A Azul divulgou na manhã desta quinta-feira, 7, uma revisão de suas projeções para 2019. A expectativa é de que a margem operacional (Ebit) fique próxima de 18% no ano, no piso da faixa de 18% a 20% estimada anteriormente.

A companhia reduziu sua previsão para o custo dividido pelo total de assentos-quilômetro oferecidos (CASK, no jargão setorial). A aérea passou a esperar uma queda de aproximadamente 0,5% em 2019, por ter conseguido uma performance melhor do indicador no terceiro trimestre. Inicialmente, a Azul esperava que o CASK tivesse alta entre 0% e 2% no ano.

Também foram alteradas as previsões para oferta (ASK, no jargão setorial). No consolidado, o crescimento total deve ficar em torno de 20%, no piso do guidance anterior de 20% a 22%. No mercado doméstico, a capacidade deve ter alta próxima de 23%, contra a estimativa inicial de algo entre 23% a 25%. Já no internacional, a expectativa passou para aumento em torno de 12%, contra 10% a 15% esperados anteriormente.

Na mensagem da administração, os executivos da Azul dizem esperar ainda que manutenção da tendência de aumento de receita, na medida em que a aérea se beneficie do processo de transformação de frota e do cenário favorável de demanda no Brasil. Além disso, a empresa também prevê "redução consistente" do custo unitário nos próximos anos na esteira da renovação da frota.