Mercado fechado

Avianca Holdings conclui renegociação de dívidas com fornecedores

Cibelle Bouças

A companhia concluiu a troca de títulos de dívida sem garantia de US$ 550 milhões, com vencimento em maio de 2020, por novos papéis com vencimento em 2023 A Avianca Holdings, que reúne as empresas Avianca (da Colômbia), Tampa Cargo, Aerolíneas Galápagos (Aerogal) e Taca, concluiu a troca de títulos de dívida sem garantia de US$ 550 milhões, com vencimento em maio de 2020, por novos papéis, com vencimento em 2023. Os juros serão de 9%, ante 8,375% dos títulos que venciam em 2020. A companhia informou que a negociação atingiu 88,1% dos papéis.

Segundo ainda a Avianca Holdings, a troca de títulos será feita após a finalização do empréstimo de US$ 250 milhões pela United Airlines e Kingsland Holdings.

“Estamos muito satisfeitos com esse encerramento, pois reafirma a confiança dos detentores de títulos e credores no plano que elaboramos”, afirmou, em nota, Adrián Neuhauser, diretor financeiro da empresa.

“Essa conquista é uma das principais etapas financeiras do Plano Avianca 2021. Esperamos que a empresa cumpra prontamente os marcos restantes e faça acordos com seus outros credores para financiar o crédito comprometido em conjunto com a Kingsland”, afirmou, em comunicado, John Gebo, vice-presidente sênior de alianças da United Airlines.

Em agosto, a United e a Kingsland, sócias da Avianca Holdings, afirmaram que estavam dispostas a oferecer um empréstimo de US$ 250 milhões para a companhia aérea, como parte do processo de recuperação financeira da aérea.

A Avianca Holdings tem como maior acionista a BRW Aviation, braço de investimentos da Synergy Group, dos irmãos Germán e José Efromovich. Desde 24 de maio, a Kingsland, do investidor Roberto Kriete, que detém 21,9% de participação na companhia, está no comando no lugar de Germán. A Kingsland passou a deter o direito de voto que pertencia à BRW Aviation, porque a BRW deixou de pagar um empréstimo de US$ 456 milhões à United Airlines. Como compensação, a United passou a deter o direito de voto da BRW e o repassou à Kingsland.