Mercado fechará em 2 h 26 min
  • BOVESPA

    115.006,44
    +4.969,65 (+4,52%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.273,72
    +646,92 (+1,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,46
    +3,97 (+4,99%)
     
  • OURO

    1.701,60
    +29,60 (+1,77%)
     
  • BTC-USD

    19.511,30
    +317,34 (+1,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    444,14
    +8,79 (+2,02%)
     
  • S&P500

    3.670,57
    +84,95 (+2,37%)
     
  • DOW JONES

    29.438,08
    +712,57 (+2,48%)
     
  • FTSE

    6.908,76
    +14,95 (+0,22%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.215,79
    +278,58 (+1,07%)
     
  • NASDAQ

    11.253,50
    +218,00 (+1,98%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0617
    -0,2462 (-4,64%)
     

Avião elétrico da Embraer faz primeiro voo; veja como foi

·2 min de leitura

A Embraer deu um importante passo rumo à eletrificação das aeronaves. A fabricante brasileira realizou o primeiro voo de teste do seu avião demonstrador elétrico, um modelo adaptado que tem propulsor sem qualquer tipo de combustível fóssil em seu funcionamento. A decolagem foi realizada na pista de testes da empresa, em Gavião Peixoto, interior de São Paulo.

O projeto do avião elétrico é feito pela Embraer em parceria com dois importantes players da mobilidade elétrica, a WEG e a EDP. Segundo a fabricante, essa união de forças acelerou o desenvolvimento das tecnologias necessárias para aumentar a eficiência energética de futuras aeronaves a partir do uso e integração de dispositivos elétricos em um sistema de propulsão inovador.

Este projeto de cooperação tecnológica utilizou um sistema motopropulsor elétrico da WEG e um conjunto de baterias financiadas pela EDP que foram integradas em um EMB-203 Ipanema. A aeronave icônica da Embraer se tornou, em 2004, o primeiro avião do mundo certificado e produzido em série para voar com um combustível de fonte renovável — no caso, o etanol.

Nas primeiras avaliações em voo tripulado foram analisadas características primárias como potência, desempenho, controle, gerenciamento térmico e segurança de operação. O objetivo é demonstrar em condições reais os resultados obtidos em simulação computacional, ensaios em laboratório e integração da tecnologia em solo, que acontecem desde o segundo semestre de 2019.

Em nota, a fabricante afirmou que os resultados dos testes desse avião elétrico permitirão que ela utilize o conhecimento adquirido para a aplicação de tecnologias inovadoras de eletrificação no desenvolvimento de novos produtos alinhados com a busca contínua de um futuro sustentável. Vale lembrar que a Embraer também desenvolve seu eVTOL (veículo elétrico com decolagem vertical), ou carro voador — este focado em operações urbanas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: