Mercado abrirá em 9 h 38 min
  • BOVESPA

    110.235,76
    +1.584,71 (+1,46%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.808,21
    +566,41 (+1,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,80
    -0,13 (-0,14%)
     
  • OURO

    1.800,50
    -13,20 (-0,73%)
     
  • BTC-USD

    24.305,00
    +1.387,62 (+6,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    573,44
    +42,22 (+7,95%)
     
  • S&P500

    4.210,24
    +87,77 (+2,13%)
     
  • DOW JONES

    33.309,51
    +535,11 (+1,63%)
     
  • FTSE

    7.507,11
    +18,96 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    19.892,06
    +281,22 (+1,43%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.437,75
    +45,75 (+0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2397
    -0,0067 (-0,13%)
     

Dólar vai acima de R$5,40 com persistência de cautela no Brasil e no mundo

Notas de dólar

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar avançava nesta terça-feira, superando a marca de 5,40 reais conforme a demanda internacional por segurança permanecia elevada diante de temores de recessão, enquanto, no Brasil, investidores aguardavam com cautela as votações da LDO de 2023 e da PEC dos Benefícios.

Às 10:07 (de Brasília), o dólar à vista avançava 0,66%, a 5,4069 reais na venda, rondando os picos do dia.

Na B3, às 10:07 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,53%, a 5,4350 reais.

Esse comportamento estava em linha com a desvalorização de várias moedas de países emergentes ou exportadores de commodities nesta terça-feira. Pesos chileno e mexicano e sol peruano, por exemplo, caíam entre 0,4% e 2%.

O índice do dólar contra uma cesta de moedas fortes, no entanto, oscilava entre estabilidade e leve queda, perdendo fôlego depois de mais cedo ter renovado máxima desde 2002.

O principal componente dessa cesta, o euro --que tem sido observado de perto à medida que flerta com a paridade em relação à divisa norte-americana-- mostrava recuperação em relação às mínimas do pregão, mas ainda rondava os menores níveis em duas décadas.

"O receio com uma recessão de escala global segue atuando como principal ponto de preocupação para os investidores, uma vez que, se confirmada, pode trazer uma nova rodada de correção nos preços dos ativos de risco", disse em nota a equipe econômica da Guide Investimentos.

Os especialistas notaram como sinal de pessimismo global a notícia de que o sentimento dos investidores alemães despencou em julho, em meio a fortes temores de crise energética na Europa. Colaborava para o clima azedo a perspectiva de restrições de combate à Covid-19 em grandes cidades chinesas, como Pequim e Xangai, conforme a segunda maior economia do mundo enfrenta novos casos de coronavírus.

Em meio à cautela elevada, as bolsas europeias e os futuros de ações dos Estados Unidos recuavam nesta terça-feira, assim como os rendimentos dos títulos soberanos dos EUA --que costumam perder terreno em momentos de demanda por proteção. [.NPT] [.EUPT]

No mercado de commodities, os contratos futuros do petróleo tinham perdas acentuadas em meio à perspectiva pessimista para a economia global.

Investidores internacionais devem ficar atentos a dados de inflação norte-americanos com publicação agendada para quarta-feira, que podem oferecer pistas sobre a trajetória de aperto monetário do Federal Reserve --que por sua vez tem impacto direto nos receios econômicos dos mercados.

No âmbito doméstico, "nossas incertezas fiscais e a tensão político-eleitoral devem continuar a fazer preço na moeda (dólar)", disse Jefferson Rugik, presidente-executivo da Correparti Corretora.

O Congresso realiza nesta manhã sessão conjunta para votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2023. À tarde, a Câmara pode votar a PEC dos Benefícios, que tem preocupado investidores por prever gastos fora do teto fiscal.

Enquanto isso, a tensão política brasileira escalou no fim de semana depois que um petista foi assassinado no Paraná, episódio que alguns apontaram como sinalização de meses difíceis antes da eleição presidencial de outubro.

A moeda norte-americana spot fechou a última sessão em alta de 1,94%, a 5,3713 reais, maior valorização diária desde 17 de junho (+2,35%).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos