Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.811,40
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    16.960,03
    -4,38 (-0,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Avanço da confiança empresarial alemã alimenta expectativas de recuperação

Vista de Frankfurt, Alemanha

Por Rachel More

BERLIM (Reuters) - A Alemanha mostrou sinais de superação de sua crise de energia com a Rússia e dos problemas na cadeia de abastecimento, já que a confiança empresarial alemã aumentou mais do que o esperado em novembro, de acordo com uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira.

"A recessão pode ser menos grave do que muitos esperavam", disse o instituto Ifo em um comunicado.

O instituto informou que o índice de clima de negócios foi a 86,3, acima da previsão dos analistas de 85,0 em uma pesquisa da Reuters, e após uma leitura revisada de 84,5 em outubro.

A perspectiva positiva segue-se a um crescimento econômico inesperado no terceiro trimestre e ocorre no momento em que o armazenamento de gás na Alemanha reduz os temores de uma crise de oferta neste inverno.

No entanto, o governo espera uma recessão no próximo ano, com previsão de contração da economia de 0,4%. O painel de consultores econômicos do governo previu mais recentemente uma queda menos severa de 0,2% em 2023.

Embora as empresas estejam um pouco menos satisfeitas com seus negócios atuais, disse o Ifo, o pessimismo em relação aos próximos meses diminuiu drasticamente, com uma melhora observada principalmente na manufatura.

"O risco de racionamento de gás caiu significativamente nas últimas semanas, e o governo federal aumentou de forma substancial seu pacote de ajuda", disse o economista-chefe do Commerzbank, Joerg Kraemer.

(Reportagem adicional de Miranda Murray e Klaus Lauer)