Mercado fechado

Avaliação do TikTok desaba na Play Store após polêmica

Rubens Eishima

O TikTok recebeu uma avalanche de avaliações negativas na Play Store, derrubando a média do app na loja do Google. O motivo foi uma forte campanha contra a rede social realizada por usuários indianos após revelações de vídeos com conteúdos impróprios sendo compartilhado na rede. A queda na avaliação média do app – que foi de quatro estrelas no começo de maio para praticamente uma no dia 20 – motivou uma remoção em massa de avaliações pelo Google.

O movimento de boicote ao app recebeu hashtags como “BanTikTok”, “BlockTikTok” e “DeleteTikTok” no Twitter. Junto com elas, usuários revelaram vídeos publicados na plataforma com cenas de crueldade animal, violência doméstica, machismo e racismo, que em tese violariam as diretrizes de comunidade do TikTok (por esse motivo não incluímos links para as tags).

Em resposta ao site TechCrunch, um porta-voz do Google declarou que a empresa removeu milhões de avaliações negativas do aplicativo, o que resultou no aumento da avaliação média do TikTok para cerca de 2,7 estrelas na data de publicação do texto, de acordo com dados do site AppBrain.

Avaliação do TikTok foi de mais de 4 estrelas no começo de maio para 1 no dia 20 (imagem: AppBrain/reprodução)

Entenda o caso

A atual campanha contra a rede social na Índia começou aparentemente após um vídeo do influenciador digital Faizal Siddiqui simulando ataques com ácido – tipo de crime geralmente praticado por homens contra mulheres no país. Apesar da divulgação de um pedido de desculpas, o influenciador teve sua conta apagada do TikTok.

Até mesmo uma parlamentar e ex-ministra do país se pronunciou sobre o TikTok, acusando a rede social de não remover vídeos com crueldade animal ou auxiliar as autoridades em investigações. A partir disso, a rede social passou a ter sua suposta demora no combate a esse tipo de material exposta na internet.

Procurada pelo Canaltech, a assessoria do TikTok no Brasil não se pronunciou sobre a polêmica até o fechamento da matéria nem respondeu questionamentos sobre a moderação de conteúdo no país, índice de vídeos removidos ou a colaboração com autoridades brasileiras para investigar supostos crimes.


Fonte: Canaltech