Após avaliação da Moody's, Petrobras quer reduzir custos em R$ 32 bilhões

Rio de Janeiro, 19 dez (EFE).- A Petrobras anunciou nesta quarta-feira um plano para reduzir R$ 32 bilhões em despesas operacionais até 2016, depois que uma agência de classificação de risco ameaçou baixar sua nota.

A meta será atingida "gradual e progressivamente" a partir de 2013 ao aplicar cortes em 515 iniciativas nas áreas de prospecção e produção, refino, transporte, gás e adubos, entre outros, segundo um comunicado enviado à Bolsa de São Paulo.

A Petrobras assegurou que nos últimos meses, desde o último mês de junho, começou a elaborar este plano detalhado, que será implementado a partir de janeiro.

A companhia petrolífera acumulou despesas operacionais de R$ 63 bilhões em 2011, segundo o comunicado.

Na segunda-feira passada, a agência de risco Moody's manteve a nota de risco da Petrobras em A3, mas alterou a perspectiva de "estável" para "negativa", o que se deve principalmente ao aumento dos níveis de dívida da companhia e à "incerteza" sobre os prazos para o cumprimento de suas metas de aumento da produção.

A Moody's mostrou preocupação pelos custos elevados, o grande plano de investimentos da companhia e a "elevada" dependência dos planos do Governo Federal, que influi em seus projetos de explorar em águas profundas e impõe requisitos de usar mão de obra e produtos nacionais, o que "afetará" seu desenvolvimento futuro.

A Petrobras registrou no segundo trimestre perdas de R$ 1,346 bilhão, seu primeiro resultado negativo em 13 anos.

A companhia atribuiu as perdas à desvalorização do real frente ao dólar, o que encareceu sua dívida em divisa estrangeira, e a outros fatores como uma diminuição da produção de petróleo por trabalhos de manutenção de vários poços e à "defasagem" dos preços dos combustíveis, que não subiram por pressão do Governo.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou hoje que os preços da gasolina aumentarão em 2013, mas não quis precisar o tamanho do aumento nem a data.

Essa declaração de Mantega impulsionou a cotação das ações preferenciais da Petrobras, que, na metade do pregão de hoje, disparavam 3,57% no Ibovespa. EFE

cotações recentes

 
Cotações recentes
Símbolo Preço Variação % Var 
Seus tickers vistos mais recentemente aparecerão aqui automaticamente se você digitou um ticker no campo "Inserir símbolo/empresa" na parte inferior deste módulo.
É necessário permitir os cookies do seu navegador para ver as cotações mais recentes.
 
Entre para ver as cotações nos seus portfólios.

Resumo do Mercado

  • Moedas
    Moedas
    NomePreçoVariação% Variação
    3,10830,000,00%
    USDBRL=X
    3,29060,000,00%
    EURBRL=X
    0,9443-0,0001-0,01%
    USDEUR=X
  • Commodities
    Commodities
    NomePreçoVariação% Variação

Destaques do Mercado

  • Líderes em Volume
    Líderes em Volume
    NomePreçoVariação% Variação
    31,51-0,14-0,44%
    VALE5.SA
    15,18-0,38-2,44%
    PETR4.SA
    4,93-0,10-1,99%
    USIM5.SA
    5,86+0,15+2,63%
    GOAU4.SA
    16,40-0,52-3,07%
    LAME4.SA
  • Altas %
    Altas %
    NomePreçoVariação% Variação
    10,89+1,29+13,44%
    TEKA4.SA
    4,18+0,45+12,06%
    BEES4.SA
    4,24+0,43+11,29%
    LFFE3.SA
    7,41+0,71+10,60%
    CRPG5.SA
    28,00+2,60+10,24%
    BRSR3.SA
  • Baixas %
    Baixas %
    NomePreçoVariação% Variação
    16,01-3,99-19,95%
    ITEC3.SA
    1,14-0,25-17,99%
    IGBR3.SA
    0,69-0,11-13,75%
    BBTG12.SA
    29,00-4,00-12,12%
    CEED3.SA
    3,33-0,45-11,90%
    CEDO4.SA