Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.028,04
    -147,90 (-0,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Avalanche maciça de rochas e gelo glacial causou enchente que deixou 200 mortos na Índia

·2 minuto de leitura
Avalanche maciça de rochas e gelo glacial causou enchente que deixou 200 mortos na Índia
Avalanche maciça de rochas e gelo glacial causou enchente que deixou 200 mortos na Índia

Uma enchente atingiu no começo de fevereiro um vale localizado no estado de Uttarakhand, na Índia, e deixou 200 pessoas mortas ou desaparecidas, além de ter destruídos duas usinas hidrelétricas. Até o momento, cientistas e autoridades locais buscavam entender o que causou o desastre natural.

Uma equipe com cerca de 50 cientistas analisou imagens de satélite que comprovam que uma avalanche maciça de rochas e gelo glacial foi a responsável pela enchente. De acordo com os estudos, as rochas caíram de uma altura de quase 2 quilômetros do Pico Ronti, no Himalaia.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Anteriormente, acreditava-se que o culpado seria um fenômeno chamado “erupção de lago glacial”, que se trata do momento que a água represada no topo de uma montanha transborda repentinamente de seus limites e desce a encosta.

O geomorfologista da Universidade de Calgary, no Canadá, Daniel Shugar, afirmou que o cenário encontrado foi de risco múltiplo, onde era muito mais fluido e móvel do que seria de se esperar de um deslizamento de terra. “Foi o pior cenário de rocha e gelo e altura de queda”, completou.

Leia também!

O estudo apontou que é difícil afirmar qual papel as mudanças climáticas tenham desempenhado nesse acidente pela falta de estações meteorológicas no local. No entanto, Shugar disse que a mudança climática faz com que grandes acontecimentos como este se tornem mais frequentes e ainda mais graves devido a diminuição das geleiras e seus alicerces.

O geomorfologista afirmou que o desenvolvimento humano próximo às montanhas é outro fator de risco a ser relatado. “Se as próprias montanhas estão se tornando mais perigosas, e também estamos avançando mais para dentro dessas montanhas, isso se torna uma mistura perigosa”, concluiu.

Via: ScienceNews

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!