Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    60.432,24
    +1.807,35 (+3,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Auxílio emergencial: Nascidos em maio podem atualizar dados no Caixa Tem

Redação Finanças
·3 minuto de leitura
Para receber o auxílio emergencial de forma correta, é preciso atualizar o cadastro do app Caixa Tem
Para receber o auxílio emergencial de forma correta, é preciso atualizar o cadastro do app Caixa Tem
  • Governo federal vai pagar uma nova rodada do auxílio emergencial a partir de abril

  • Para receber o benefício sem problemas é preciso atualizar o aplicativo Caixa Tem

  • A partir desta segunda-feira, quem nasceu em maio já tem direito a fazer as modificações pelo celular

Na última quinta-feira (18), o presidente Jair Bolsonaro assinou uma MP (Medida Provisória) que dá direito a mais uma rodada de quatro parcelas do auxílio emergencial a partir de abril. Com isso, é importante que usuários do aplicativo Caixa Tem atualizem os dados cadastrais para receber corretamente o benefício. A partir desta segunda (22), nascidos em maio já têm direito a fazer a atualização.

Leia também:

Para fazer as modificações no cadastro, não é preciso ir até uma agência bancária. As alterações feitas pelo próprio beneficiário no próprio celular, acessando a aba “Atualize seu cadastro” no aplicativo, com a documentação solicitada: foto (selfie) e documentos pessoais (RG, CPF e comprovante de endereço).

Veja o calendário completo, desde o início:

  • A partir de de 14 de março - nascidos em janeiro

  • A partir de de 16 de março - nascidos em fevereiro

  • A partir de de 18 de março - nascidos em março

  • A partir de de 20 de março - nascidos em abril

  • A partir de de 22 de março - nascidos em maio

  • A partir de de 23 de março - nascidos em junho

  • A partir de de 24 de março - nascidos em julho

  • A partir de de 25 de março - nascidos em agosto

  • A partir de de 26 de março - nascidos em setembro

  • A partir de de 29 de março - nascidos em outubro

  • A partir de de 30 de março - nascidos em novembro

  • A partir de de 31 de março - nascidos em dezembro

Além do auxílio emergencial, desde o fim de 2020 são pagos por meio da poupança digital o benefício do Bolsa Família e o Abono do PIS (Programa de Integração Social). Também por meio dela foram feitos o saque emergencial do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e o BEm (Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda) (BEm).

Como vai funcionar

Nesta nova fase, o governo federal prevê que 45 milhões de pessoas sejam contempladas na nova fase do programa de auxílio emergencial, que varia entre R$ 150 e R$ 375. Recebem R$ 150 os beneficiários que moram sozinhos. Famílias em situação de vulnerabilidade têm direito a R$ 250, enquanto os R$ 375 serão destinados a mulheres com filhos e que são as provedoras do lar.

Close up of young woman using smartphone at home in sunlight
São necessários CPF, RG, comprovante de residência e uma selfie para fazer a mudança no aplicativo

Quem não terá direito?

Menores de 18 anos, exceto mães adolescentes; pessoas que têm emprego com carteira assinada ou que recebem algum benefício do governo (exceto o Bolsa Família e abono); quem não movimentou os valores do auxílio emergencial pago no ano passado; quem teve o auxílio de 2020 cancelado até dezembro do ano passado; estagiários e residentes médicos, multiprofissionais e quem recebe bolsa de estudos ou similares; quem teve renda tributável acima de R$ 28.559,70 em 2019; quem recebeu em 2019 rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima de R$ 40 mil; e pessoas que, em 31 de dezembro de 2019, tinham propriedade de bens e direitos em valor total superior a R$ 300 mil.