Mercado abrirá em 1 h 28 min
  • BOVESPA

    119.297,13
    +485,13 (+0,41%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.503,71
    +151,51 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,06
    +0,88 (+1,46%)
     
  • OURO

    1.743,90
    -3,70 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    64.421,89
    +1.664,18 (+2,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.389,10
    +95,11 (+7,35%)
     
  • S&P500

    4.141,59
    +13,60 (+0,33%)
     
  • DOW JONES

    33.677,27
    -68,13 (-0,20%)
     
  • FTSE

    6.905,78
    +15,29 (+0,22%)
     
  • HANG SENG

    28.900,83
    +403,58 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    29.620,99
    -130,61 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    14.013,50
    +37,75 (+0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8344
    +0,0032 (+0,05%)
     

Auxílio emergencial: estados e municípios lançam benefícios próprios

Redação Finanças
·4 minuto de leitura
No caso de Vitória, valor será pago em duas parcelas de R$ 250 e contemplará 2.328 famílias
No caso de Vitória, valor será pago em duas parcelas de R$ 250 e contemplará 2.328 famílias
  • O auxílio do Rio de Janeiro deve injetar R$ 100 milhões na economia local

  • Em Salvador, o auxílio ao setor cultural será de uma parcela de R$ 1.100

  • Em SP, serão pagos R$ 100 para pessoas cadastradas no Bolsa Família

A Câmara Municipal de Vitória aprovou, nesta quarta-feira (24), a criação de um auxílio emergencial de R$ 500 para pessoas em situação de vulnerabilidade social. Não é o primeiro município que busca uma forma de amparar a população que dependia do auxílio emergencial do governo federal, que agora vai retornar com um valor menor.

No caso de Vitória, valor será pago em duas parcelas de R$ 250 e contemplará 2.328 famílias. A Prefeitura do Rio de Janeiro também anunciou uma medida semelhante na quarta-feira (24), com o "Auxílio Carioca", serão cerca de 900 mil pessoas beneficiadas, o que representa 14% da população.

Vão ser injetados na economia do município cerca de R$ 100 milhões nos próximos dias — R$ 70 milhões da prefeitura e R$ 30 milhões da Câmara de Vereadores. O benefício é destinado às famílias mais pobres e tem como objetivo minimizar o impacto da pandemia na capital.

Quando anunciou a medida, o perfeito carioca, Eduardo Paes, voltou a pedir para que a União pague o auxílio emergencial. Quem também criticou o governo federal ao anunciar o próprio auxílio foi o governador do Maranhão, Flávio Divo. "É um erro que não tenha voltado, era para estar implantado desde janeiro", disse o governador.

Dino adotou o próprio auxílio, que focou em artistas e bares e restaurantes que estão sem funcionar por causa das medidas de isolamento. O governo do Maranhão disponibilizou dois auxílios, o primeiro para o setor cultural, já que muitos artistas estão impossibilitados de trabalhar nesse período, com uma parcela única de R$ 600 paga.

Já o segundo auxílio foi para ajudar os micro e pequenos empresários que são proprietários de bares e restaurantes. A parcela única de R$ 1.000 foi paga no mesmo dia do setor cultural.

Também nesta quinta, a Prefeitura de São Paulo inicia o pagamento da nova remessa do Renda Básica Emergencial
Também nesta quinta, a Prefeitura de São Paulo inicia o pagamento da nova remessa do Renda Básica Emergencial

Nesta quinta-feira (25), o perfeito de Salvador, Bruno Reis, também anunciou uma medida para socorrer o setor cultural com o pagamento de R$ 1.100, por intermédio do programa SOS Cultura, para os profissionais da capital baiana.

Desde o começo da pandemia, Salvador já possui um auxílio no valor de R$ 270 para trabalhadores informais e pessoas em situação de rua atingidos pela pandemia. A medida já está na sua 12ª parcela e foi estendido por mais três meses.

Também nesta quinta, a Prefeitura de São Paulo inicia o pagamento da nova remessa do Renda Básica Emergencial. De acordo com a gestão Bruno Covas, serão pagos R$ 100 para pessoas cadastradas no Bolsa Família até 30 de setembro de 2020.

Ao todo, 480.177 famílias (1.287.422 pessoas) serão beneficiadas até maio. Em fevereiro deste ano, sem o auxílio do governo federal, a Câmara Municipal votou pela extensão do Renda Básica na cidade para assistir os mais impactados pelos efeitos econômicos da pandemia.

Com o colapso na saúde e a necessidade de medidas mais duras contra o coronavírus, Manaus foi outra cidade que lançou o "Auxílio Manauara", que paga R$ 200 mensais por um período de seis meses, prorrogáveis por mais seis. Pelo menos 40 mil famílias serão beneficiadas.

Quando o auxílio emergencial volta?

O tão aguardado retorno do benefício federal vai acontecer em abril e será em quatro parcelas, com valores específicos de acordo com o perfil de quem recebe. O valor médio dessa rodada é de R$ 250, mas pode variar de R$ 150 a R$ 375 a depender da composição de cada família.

Por enquanto, o governo anunciou apenas as datas para beneficiários que estão dentro do programa Bolsa Família. O primeiro pagamento será no dia 16 de abril e seguirão o calendário já estabelecido para o benefício – sempre nos últimos dez dias úteis de cada mês.

Para os demais beneficiários, o governo ainda não divulgou datas, nem previsão de informá-las. Inicialmente, havia sido ventilado que os pagamentos começariam em março, o que não aconteceu.

Carta dos governadores

Governadores de 16 estados assinaram uma carta nesta quarta-feira (24), defendendo que o Congresso Nacional aprove um auxílio emergencial no valor de R$ 600 e pedindo que o governo federal considere os mesmos critérios de 2020 para o cadastro no programa.

Com a alteração nas regras, 22,6 milhões de brasileiros ficarão sem auxílio em 2021. No documento, governadores afirmam que o Brasil precisa reverter o quadro "dramático" da Covid-19 e que "agir contra esse cenário requer medidas sanitárias e garantia de uma renda emergencial".

No Congresso Nacional, a pressão também cresce para elevar para R$ 600 a nova rodada de auxílio. Emendas para aumentar o valor já foram protocoladas. Entre os autores, estão José Nelto (Podemos), Elias Vaz (PSB) e José Guimarães (PT).