Mercado abrirá em 2 h 38 min
  • BOVESPA

    108.232,74
    +1.308,56 (+1,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.563,98
    +984,08 (+1,98%)
     
  • PETROLEO CRU

    114,94
    +0,74 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.826,00
    +12,00 (+0,66%)
     
  • BTC-USD

    30.538,87
    +749,11 (+2,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    685,48
    +442,80 (+182,46%)
     
  • S&P500

    4.008,01
    -15,88 (-0,39%)
     
  • DOW JONES

    32.223,42
    +26,76 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.535,34
    +70,54 (+0,94%)
     
  • HANG SENG

    20.602,52
    +652,31 (+3,27%)
     
  • NIKKEI

    26.659,75
    +112,70 (+0,42%)
     
  • NASDAQ

    12.522,00
    +277,25 (+2,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2895
    +0,0090 (+0,17%)
     

Auxílio Brasil terá valor médio superior a R$ 400 e atenderá quase 18 mi de famílias

·2 min de leitura
Auxílio Brasil foi criado este ano, mas tem muitas linhas do Bolsa Família
Auxílio Brasil foi criado este ano, mas tem muitas linhas do Bolsa Família (Getty Images)
  • Auxílio beneficiará mais de 17,5 milhões de famílias com preço mínimo de R$ 400

  • De acordo com o ministro, a fila de espera pelo benefício também foi zerada

  • "Estamos fortalecendo cada vez mais as políticas de transferência de renda”, disse

O Auxílio Brasil, criado por meio de uma medida provisória para substituir o antigo Bolsa Família, vai aumentar. Ao menos, é o que garante João Roma, ministro da Cidadania. Em entrevista ao programa "Sem Censura", da TV Brasil, na última segunda-feira (17), ele garantiu que o benefício será fortalecido. "Já no seu início, teve um reajuste de 17%, mais do que o avanço inflacionário, e com o benefício compensatório ele vai para R$ 400 no mínimo", disse, explicando que, com isso, o ticket médio passa a ser até maior. Roma também explicou que o auxílio "interliga programas sociais ao programa de transferência de renda”.

Leia também:

Mais famílias serão atendidas

Nessa mesma entrevista, Roma comentou que o Auxílio Brasil contemplava, até então, cerca de 14 milhões de famílias. E que, a partir desta terça-feira (18), passaria a beneficiar mais de 17,5 milhões - que receberão o valor mínimo de R$ 400. De acordo com o ministro, a fila de espera pelo benefício também foi zerada. “Sem dúvida é um avanço na transferência de renda, um incremento na política social do governo", comentou.

Políticas de transferência de renda

Além disso, ainda segundo ele, a tarifa social de energia elétrica, com desconto de 65%, alcançará mais 12 milhões de famílias brasileiras - totalizando 24 milhões com as que já eram contempladas -, e o Auxílio-Gás ajuda mais de 5,5 milhões de brasileiros. "Estamos fortalecendo cada vez mais as políticas de transferência de renda”, acrescentou.

Sistema S

Segundo o ministro João Roma, há uma política de qualificação e mercado de trabalho dentro do Auxílio Brasil. E para ajudar na capacitação de trabalhadores para levar a oferta de trabalho a quem procura um emprego, o governo conta com a parceria do 'Sistema S' - que tem sido "uma grande ferramenta". Roma também ressaltou o esforço somado das instituições para que se disponibilizem uma grande variedade de captação e que essa captação esteja linkada com o que o mercado está oferecendo. Afinal, "não adianta você gerar determinadas habilidades se não há vaga para aquilo”, concluiu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos