Mercado fechará em 51 mins
  • BOVESPA

    98.356,23
    -1.265,35 (-1,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.843,28
    -218,33 (-0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    105,70
    -4,08 (-3,72%)
     
  • OURO

    1.807,30
    -10,20 (-0,56%)
     
  • BTC-USD

    18.963,10
    -1.091,35 (-5,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    407,00
    -24,47 (-5,67%)
     
  • S&P500

    3.772,30
    -46,53 (-1,22%)
     
  • DOW JONES

    30.660,89
    -368,42 (-1,19%)
     
  • FTSE

    7.169,28
    -143,04 (-1,96%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    26.393,04
    -411,56 (-1,54%)
     
  • NASDAQ

    11.548,25
    -142,75 (-1,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4797
    +0,0691 (+1,28%)
     

Auxílio Brasil será de R$ 400 reais permanentemente, diz governo

Governo Federal sanciona Auxílio Brasil em R$ 400 reais de forma permanente
Governo Federal sanciona Auxílio Brasil em R$ 400 reais de forma permanente
  • O Executivo passará a investir R$ 90 bilhões anuais no programa;

  • Inicialmente, a proposta do governo previa o valor mínimo somente até o fim do ano;

  • O texto foi alterado na Câmara para que o valor fosse incorporado de forma permanente;

A medida provisória que garante de forma permanente o valor mínimo de R$ 400 para famílias beneficiárias do Auxílio Brasil foi sancionada por Jair Bolsonaro. Com o novo piso mínimo do benefício, o Executivo passará a investir R $90 bilhões anuais no programa.A assinatura ocorreu durante cerimônia no Palácio do Planalto.

Inicialmente, a proposta enviada pelo governo previa o pagamento de um “benefício extraordinário” somente até dezembro deste ano, mas ainda na Câmara, o texto foi alterado e o valor foi incorporado ao piso do benefício de forma permanente. No início do mês o texto foi aprovado pelo Senado sem alterações.

Com a sanção presidencial, a estimativa é que o governo precise de mais R$ 41 bilhões por ano para pagar o complemento do benefício, quase o mesmo valor usado para pagar o Auxílio Brasil, cerca de R$ 47,5 bilhões.

Vale ressaltar que sem a incorporação do benefício extraordinário, o Auxílio Brasil teria tíquete médio de R$ 224.

Auxílio Brasil deveria ter valor mínimo de R$417 se corrigido pela inflação

Apesar do novo piso, para que se mantenha o poder de compra, levando em consideração a inflação de 4,31% acumulada pelo IPCA-15, o valor deveria ser corrigido para R$ 417.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) calcula tanto o O IPCA-15 quanto o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). A diferença é que o IPCA-15, por ser divulgado antes, funciona como uma prévia da inflação oficial. O IPCA , por enquanto, só foi contabilizado até março.

O avanço no preço dos alimentos é um dos principais responsáveis pela alta da inflação que acomete o país desde de dezembro. De janeiro a abril deste ano, o custo da alimentação em domicílio acumulou alta de 8,26%, quase o dobro do IPCA-15. Levando em consideração a inflação nos alimentos, o Auxílio Brasil já deveria estar em R$ 433 para manter seu poder de compra original.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos