Mercado abrirá em 4 h 10 min

Auxílio Brasil pode passar para R$ 600 ainda hoje, diz Bolsonaro

Texto final da PEC dos combustíveis deve ser anunciado hoje, às 18h (Thiago Prudencio/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
Texto final da PEC dos combustíveis deve ser anunciado hoje, às 18h

(Thiago Prudencio/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)

  • Auxílio Brasil pode passar de R$ 400 para R$ 600 ainda hoje (28);

  • Informação foi compartilhada ontem (27) pelo presidente Jair Bolsonaro;

  • Aumento deve ser incluído na PEC dos combustíveis.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse, nesta segunda-feira (27), que poderia elevar o piso do Auxílio Brasil de R$ 400 para R$ 600 ainda nesta terça-feira (28). A informação foi compartilhada com apoiadores, em frente ao Palácio da Alvorada.

O aumento do benefício deve ser incluído na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos combustíveis, relatada pelo senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE). O texto final estava programado para ser apresentado hoje, por volta das 11h, mas o parecer foi adiado para às 18h.

Entretanto, o governo precisa decretar emergência nacional para que o aumento do Auxílio Brasil seja oficializado em ano eleitoral sem ferir a lei. Por isso, o Palácio do Planalto também negocia a inserção de estado de emergência na PEC dos combustíveis. As informações são do Estadão.

Medidas populistas

A menos de 100 dias da eleição, a proposta do aumento do Auxílio Brasil chega ao lado de outras duas capazes de aumentar a popularidade de Jair Bolsonaro: bolsa-caminhoneiro de R$ 1 mil mensais e aumento no vale-gás para famílias de baixa renda (hoje, de metade da média do botijão a cada dois meses). Os benefícios valeriam até o fim deste ano.

O plano é usar os R$ 29,6 bilhões previstos na PEC e que seriam destinados à compensação de Estados que zerassem o ICMS sobre diesel e gás até dezembro deste ano.

Sobras do Bolsa Família foram para militares

No fim de 2021, o governo de Jair Bolsonaro usou R$ 375,9 milhões de sobras do Bolsa Família para cobrir despesas das Forças Armadas, desde auxílio-moradia de militares a projetos estratégicos do Ministério da Defesa.

Segundo a Folha de S. Paulo, R$ 90 milhões em verbas originalmente reservadas ao Bolsa Família foram usadas para compra de tratores a aliados de Bolsonaro. No total, o governo remanejou cerca de R$ 18,8 bilhões do programa a outras ações. Quase metade dessa cifra custeou as primeiras parcelas do Auxílio Brasil, a aposta do governo para a reeleição de Bolsonaro. O resto ficou livre para cobrir praticamente qualquer gasto do governo. A Economia repassou via Lei de Acesso à Informação à reportagem os dados sobre o destino destes recursos.