Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.608,76
    -345,14 (-0,35%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.036,38
    +293,23 (+0,61%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,66
    +2,23 (+2,06%)
     
  • OURO

    1.808,30
    +6,80 (+0,38%)
     
  • BTC-USD

    19.794,99
    +437,70 (+2,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    429,24
    +9,10 (+2,17%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,86 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.232,65
    +64,00 (+0,89%)
     
  • HANG SENG

    21.830,35
    -29,44 (-0,13%)
     
  • NIKKEI

    26.153,81
    +218,19 (+0,84%)
     
  • NASDAQ

    11.554,00
    -57,25 (-0,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5454
    -0,0133 (-0,24%)
     

Auxílio Brasil é muito baixo para mais da metade dos brasileiros, diz pesquisa

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Auxílio Brasil
Pesquisa foi realizada pelo PoderData

(Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)

  • 51% dos brasileiros avaliam os pagamentos do Auxílio Brasil como muito baixos

  • Somente 5% acham a cifra muito alta

  • Programa substitui Bolsa Família e entrega cerca de R$ 400 para famílias de baixa renda

Para 51% dos brasileiros, os valores pagos pelo Auxílio Brasil são muito baixos. É o que mostra uma pesquisa realizada pelo PoderData, que ainda aponta que 33% consideram os pagamentos suficientes e 5% acham a cifra muito alta. Um em cada dez entrevistados não soube opinar.

Leia também:

O programa, que substitui o Bolsa Família, paga cerca de R$ 400 mensais para famílias de baixa renda inscritas no CadÚnico. Dentre os que acham a quantia baixa, destacam-se as mulheres (55%), pessoas que cursaram até o ensino médio (56%) e moradores da região Nordeste (56%).

Além disso, o levantamento revela que 71% dos entrevistados que avaliam o trabalho de Jair Bolsonaro como “ruim” ou “péssimo” consideram o benefício do Auxílio Brasil muito baixo. Dentre os que aprovam a atuação do presidente, 61% dizem que o valor é suficiente.

A pesquisa

O PoderData, vinculado ao site Poder360, entrevistou 3 mil pessoas entre 31 de janeiro e 1º de fevereiro deste ano. Participaram 238 cidades do Brasil, distribuídas em todos os estados.

O levantamento foi realizado com recursos próprios do PoderData e as perguntas feitas por meio de ligações para telefones celulares e fixos. O nível de confiança é de 95%, com margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Resultados

Confira abaixo o que as categorias de pesquisa responderam sobre os valores pagos pelo Auxílio Brasil:

Sexo

  • Homens: Muito baixo (48%); Suficiente (37%); Muito Alto (7%)

  • Mulheres: Muito baixo (55%); Suficiente (30%); Muito Alto (3%)

Idade

  • 16 a 24 anos: Muito baixo (45%); Suficiente (27%); Muito Alto (19%)

  • 25 a 44 anos: Muito baixo (52%); Suficiente (38%); Muito Alto (3%)

  • 45 a 59 anos: Muito baixo (53%); Suficiente (30%); Muito Alto (6%)

  • 60 anos ou +: Muito baixo (52%); Suficiente (31%); Muito Alto (0%)

Região

  • Sudeste: Muito baixo (52%); Suficiente (34%); Muito Alto (5%)

  • Sul: Muito baixo (47%); Suficiente (43%); Muito Alto (3%)

  • Centro-Oeste: Muito baixo (48%); Suficiente (34%); Muito Alto (4%)

  • Norte: Muito baixo (41%); Suficiente (44%); Muito Alto (8%)

  • Nordeste: Muito baixo (56%); Suficiente (22%); Muito Alto (6%)

Escolaridade

  • Fundamental: Muito baixo (46%); Suficiente (35%); Muito Alto (6%)

  • Médio: Muito baixo (56%); Suficiente (31%); Muito Alto (5%)

  • Superior: Muito baixo (54%); Suficiente (34%); Muito Alto (3%)

Renda Familiar

  • Até 2 salários: Muito baixo (54%); Suficiente (28%); Muito Alto (4%)

  • De 2 a 5 salários: Muito baixo (46%); Suficiente (40%); Muito Alto (9%)

  • Mais de 5 salários: Muito baixo (53%); Suficiente (35%); Muito Alto (1%)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos