Mercado fechado

Auxílio emergencial está ajudando economia a funcionar, diz Bolsonaro

BERNARDO CARAM
·3 minuto de leitura
BRASILIA, BRAZIL - JULY 18: Jair Bolsonaro President of Brazil gestures in front of the official residence after testing positive for coronavirus (COVID-19) in Alvorada Palace on July 18, 2020 in Brasilia, Brazil. President Bolsonaro announced Tuesday July 07 he tested positive for COVID-19 after presenting symptoms. (Photo by Bruna Prado/Getty Images)
Jair Bolsonaro em aparição no Palácio do Alvorada em 18 de julho de 2020 (Bruna Prado/Getty Images)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado que (18) o pagamento do auxílio emergencial a informais tem ajudado a economia a funcionar. Ele pediu novamente que governadores e prefeitos abram o comércio nas cidades.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Em transmissão ao vivo em redes sociais, o presidente também afirmou que os pagamentos da assistência são inicialmente limitados a meios digitais por falta de papel-moeda no país.

Leia também

O governo anunciou nesta semana o calendário de pagamento da quarta e da quinta parcelas do auxílio de R$ 600.

"São R$ 50 bilhões por mês e parte desse recurso tem que ser digital, não tem papel para todo mundo. Então atrasa um pouco, é feito de forma progressiva, mas estamos atendendo. Isso tem ajudado a economia a continuar com seus sinais vitais funcionando e a gente espera que os governadores e prefeitos comecem a abrir o comércio de forma responsável", afirmou.

"Estamos em uma pandemia que, no meu entender, mata muita gente, sim, mas não podemos esquecer que o desemprego e a queda da economia também levam à morte", disse.

O auxílio emergencial é pago a trabalhadores informais, autônomos, desempregados e microempreendedores individuais (MEIs), cuja renda foi reduzida durante as medidas de isolamento social para tentar conter a transmissão do novo coronavírus.

No fim do primeiro semestre, o governo vinha sendo pressionado pelo Congresso a prorrogar o benefício, que inicialmente foi aprovado para ter três parcelas.

A estratégia adotada foi estender o auxílio dois meses com o mesmo valor (R$ 600), sem precisar enviar um novo projeto para o Congresso --a aprovação legislativa seria necessária caso houvesse alteração no valor. A prorrogação foi feita por decreto.

No caso de mãe chefe de família o valor chega a R$ 1.200 por mês. Ao todo, o programa já atendeu cerca de 65 milhões de pessoas.

O Ministério da Cidadania publicou nesta sexta (17), no Diário Oficial da União, o calendário das parcelas restantes do auxílio emergencial, incluindo a quarta e a quinta.

Os novos pagamentos serão realizados em ciclos, obedecendo o mês em que o trabalhador recebeu a primeira parcela do benefício ou o período de inscrição no programa federal.

O valor será primeiro liberado no Caixa Tem para o pagamento de contas, de boletos e para realização de compras por meio de cartão de débito virtual ou QR Code. Os saques e as transferências bancárias obedecem outro calendário

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.