Mercado abrirá em 1 h 7 min
  • BOVESPA

    108.782,15
    -194,55 (-0,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.081,33
    -587,31 (-1,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,02
    +1,78 (+2,30%)
     
  • OURO

    1.769,20
    +13,90 (+0,79%)
     
  • BTC-USD

    16.519,08
    +310,29 (+1,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    390,07
    +9,78 (+2,57%)
     
  • S&P500

    3.963,94
    -62,18 (-1,54%)
     
  • DOW JONES

    33.849,46
    -497,57 (-1,45%)
     
  • FTSE

    7.527,62
    +53,60 (+0,72%)
     
  • HANG SENG

    18.204,68
    +906,74 (+5,24%)
     
  • NIKKEI

    28.027,84
    -134,99 (-0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.681,25
    +65,00 (+0,56%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5709
    +0,0217 (+0,39%)
     

Auxílio Brasil | Beneficiários reclamam de desconto antecipado do consignado

Nesta segunda-feira (7), beneficiários do programa Auxílio Brasil que receberam a parcela do mês de novembro tiveram uma surpresa indesejada. A mensalidade do benefício veio descontada a parcela do empréstimo consignado — tenha o crédito pessoal sido contratado ou não. Diversas pessoas começaram a compartilhar seu descontentamento nas redes sociais.

Em uma captura de tela publicada no Twitter, é possível ver que o valor depositado é de R$ 258 — o equivalente a 43% do valor total do benefício de R$ 600. Segundo os beneficiários, a primeira parcela deveria ser descontada somente no dia 7 de dezembro, pegando diversos brasileiros despreparados e que ainda contavam com o valor cheio do auxílio para pagar as contas do mês.

Dentre os comentários encontrados em uma comunidade do Facebook dedicada ao auxílio, beneficiários também reclamam sobre o desconto nas parcelas, mesmo sem ter contratado o serviço de crédito pessoal. No post da rede social, uma usuária diz que fez o pedido do empréstimo no dia 27 de outubro, não recebeu o crédito e teve a parcela descontada.

Em outro comentário, uma usuária diz: "Gente a questão não era nem por descontar, até porque todos já estavam cientes disso; só que, se falaram somente em dezembro, teria que ser em dezembro, porque tenho certeza que quem pegou esse empréstimo já usou e não se programou para vir descontado esse mês. Estou falando por que é difícil para quem precisa. No meu caso, nem peguei o empréstimo porque não consegui, mas está mostrando que irão descontar de mim".

Em um depoimento exclusivo para o Canaltech, H., moradora de Campos dos Goytacazes, interior do Rio de Janeiro, diz que ficou sabendo sobre o empréstimo consignado do Auxílio Brasil ao ser abordada na rua por uma funcionária da Cred Money. Segundo ela, a solicitação foi feita no dia 24 de agosto, mas foi cancelada, sem que fosse passada qualquer informação além de um pedido para aguardar uma possível mudança de status.

H. não vai receber a mensalidade do auxílio até o fim do mês, portanto, ainda não sabe se terá a parcela descontada ou não. Vale ressaltar que a Cred Money não aparece na lista oficial de bancos autorizados pelo Ministério da Cidadania para oferecer o serviço de crédito pessoal.

Resposta da Caixa Econômica

Em resposta ao site Valor, a Caixa alegou que o governo antecipa a parcela descontada do auxílio para repassar os recursos ao banco. Além disso, o prazo de 7 de dezembro que foi apontado pelos beneficiários é referente ao limite máximo para o repasse do valor.

"Na operação do Consignado Auxílio, o Ministério da Cidadania, responsável pelo pagamento do benefício, faz a retenção antecipada do valor da parcela e o posterior repasse dos valores à Caixa", afirma. A instituição ainda informou que, no ato da solicitação do crédito, os clientes recebem comprovante com os dados financeiros da operação e a orientação acerca da disponibilidade das cláusulas gerais do contrato.

Empréstimo consignado será retomado

A oferta do empréstimo consignado do Auxílio Brasil foi suspensa em 1º de novembro e deverá ser retomada pela Caixa Econômica Federal, é o que diz a presidente da instituição, Daniella Marques. Segundo a executiva, a condição para que o crédito volte a ser concedido é a conclusão da folha de pagamento referente a novembro, realizada pela Dataprev.

“Boa parte do crédito tomado por esse público é para pagar dívida de custo mais alto. Estamos reduzindo as despesas com juros dessas famílias”, afirmou Marques em uma teleconferência sobre os resultados do trimestre.

O serviço foi suspenso pela primeira vez quando o Tribunal de Contas da União (TCU) abriu uma investigação sobre o empréstimo consignado. Na sexta-feira (4), porém, Aroldo Cedraz, ministro do TCU, concluiu que não houve irregularidades na concessão de crédito, determinando que o processo fosse arquivado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: