Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.410,87
    -11,30 (-0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Autoridades do Fed elevam projeções para juros e inflação

Sede do Federal Reserve em Washington

(Reuters) - Autoridades do banco central dos Estados Unidos aumentaram nesta quarta-feira suas projeções para a meta da taxa de juros no final deste ano e no próximo, e sinalizaram que esperam um menor alívio da inflação no curto prazo do que há três meses.

Novas previsões trimestrais de autoridades do Federal Reserve divulgadas nesta quarta-feira, juntamente com uma elevação de 0,75 ponto percentual nos custos dos empréstimos, mostraram que mediana da expectativa para a taxa básica de juros subiu para 3,4% até o final de 2022. Em março, essa taxa foi projetada em 1,9%.

A estimativa dos Fed funds para o final de 2023 é de 3,8%, acima da previsão de março de 2,8%, enquanto a taxa do final de 2024 é vista em 3,4%, contra 2,8% em março, o que reflete uma expectativa de que o banco central cortará os juros até essa data.

As autoridades subiram os juros de mais longo prazo de 2,4% para 2,5%.

A inflação --medida pela variação anual do índice de preços de despesas de consumo pessoal (PCE, na sigla em inglês)-- deverá terminar o ano em 5,2%, acima da previsão de 4,3% em março. Em abril, o PCE subiu 6,3% ante o ano anterior, um pouco abaixo do recorde em 40 anos que atingiu em março.

Os formuladores de política monetária veem a taxa de desemprego em 3,7% no final deste ano, em comparação com 3,5% em suas previsões de março. A taxa de desemprego nos EUA foi de 3,6% em maio.

(Por Dan Burns)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos