Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.763,60
    +2.091,34 (+2,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.294,83
    +553,33 (+1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,17
    +0,60 (+0,55%)
     
  • OURO

    1.823,70
    -1,10 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    20.773,92
    -341,27 (-1,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    455,80
    -6,00 (-1,30%)
     
  • S&P500

    3.900,11
    -11,63 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.438,26
    -62,42 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.258,32
    +49,51 (+0,69%)
     
  • HANG SENG

    22.229,52
    +510,46 (+2,35%)
     
  • NIKKEI

    26.871,27
    +379,30 (+1,43%)
     
  • NASDAQ

    12.070,00
    +29,50 (+0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5281
    -0,0160 (-0,29%)
     

Austrália pagará R$ 2,9 bilhões de indenização à empresa francesa de submarinos

Espera-se que o acordo reafirme as relações entre Austrália e França. Foto: REUTERS/Benoit Tessier.
Espera-se que o acordo reafirme as relações entre Austrália e França. Foto: REUTERS/Benoit Tessier.
  • Austrália anunciou neste sábado (11) um acordo de € 555 milhões com o fabricante francês de submarinos Naval Group;

  • Em setembro de 2021, o então primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, rompeu subitamente o contrato com a França para construção de submarinos;

  • Espera-se que o acordo reafirme relações entre os dois países.

A Austrália anunciou neste sábado (11) um acordo de € 555 milhões, cerca de R$ 2,9 bilhões na cotação atual, com o fabricante francês de submarinos Naval Group, como compensação pelo cancelamento do contrato para a construção de uma frota de submarinos a diesel.

O primeiro-ministro australiano Anthony Albanese alegou que a empresa concordou com o “acordo justo equitativo” do montante. Desse modo, o acordo estabelece o fim da briga que desfez laços diplomáticos entre Canberra e Paris em setembro de 2021.

Leia também:

Na época, o então primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, rompeu subitamente o contrato francês que vinha sendo elaborado há anos, e anunciou que optaria pelos submarinos nucleares dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha.

A postura causou a fúria no presidente francês Emmanuel Macron, que acusou Morrison de fraude. No período, a atitude também acabou afetando as relações com a China, que condenou a nova aliança.

O contato entre os países se manteve estagnado até a eleição do novo líder de centro-esquerda Albanese, no mês passado. Agora, espera-se que o acordo milionário reafirme as relações entre Austrália e França.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos